Finalistas do Women’s Prize for Fiction

womens orize fiction 2021

Gosto de andar de olho nos prémios literários porque normalmente arranja-se por lá boas ideias de leitura. Este ano andei a seguir o Women’s Prize for Fiction, que anunciou a semana passada a sua lista de finalistas. Este prémio literário teve origem em 1996, e surgiu como resposta ao facto que todos os finalistas do Booker Prize de 1991 serem homens. Premeia obras literárias em inglês, escritas por mulheres e editadas no ano anterior.  

Este ano chamou-me particularmente a atenção por duas razões. A primeira é Piranesi, de Susanna Clarke ter chegado aos finalistas, esse que foi sem dúvida o melhor livro que li este ano e que ainda ressoa cá dentro. Depois por outra das autoras ser Claire Fuller, de quem já li um livro que adorei, e que tenho muitos outros à espera no meu kindle. 

Isso dá-me vontade de olhar para as outras finalistas e escolher algo para ler. Vejam uma pequena sinopse em baixo. 

Susanna Clarke – Piranesi. Já disse tudo o possível aqui, só me resta aconselhar mais uma vez a leitura.

Claire Fuller – Unsettled Ground. Parece-me muito interessante, a história de uns gémeos de 51 anos que sempre viveram com a mãe, e que após a sua morte têm que lidar com as ameaças do mundo moderno ao seu estilo de vida. 

Patricia Lockwood – No One Is Talking About This. Um estranho livro sobre o novo mundo das redes sociais e o impacto que viver sob o seu domínio pode ter. Parece interessante, dum modo alternativo. 

Yaa Gyasi – Transcendent Kingdom. A história de uma família de emigrantes ganeses nos Estados Unidos, as suas lutas, dificuldades e sucessos. Parece interessante, se bem que do mesmo estilo dum livro que terminei recentemente. 

Cheerie Jones – How The One-Armed Sister Sweeps Her House. De longe, o livro com o título mais curioso, que só por si me dá imensa vontade de pegar nele. Depois descubro que retrata a vida nos Barbados, uma ilha das Caraíbas, aparentemente um paraíso para todos os que lá não vivem. Para os locais a realidade é um bocadinho diferente. Parece ser bastante interessante e ficará no meu radar. 

Brit Bennet – The Vanishing Half. Quais as probabilidades de 2 dos 6 finalistas serem uma história sobre gémeos? Aparentemente muitas, porque aqui está a segunda. Desta vez gémeas afro-americanas no sul dos EUA, e a sua história díspar de encontros e desencontros. Não fiquei com muito interesse, confesso. Corrijam-me se estiver enganada. 

Temos aqui muito material e coisas boas para experimentar, o problema será sempre o mesmo. Demasiado poucos anos de vida para tanto livro interessante para ler.

Boas Leituras!

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s