Livros Que Quero Ler – Harvest For Hope

harvest for hope

Jane Goodall é uma cientista sobejamente conhecida e que tem estudado chimpanzés a sua vida toda. Paralelamente tem sido uma porta-voz duma vida mais sustentável, nomeadamente com acções de sensibilização junto das camadas mais jovens.

Uma das coisas que Jane Goodall defende é que devemos ter uma alimentação que cause menos impacto ao nosso planeta. Ela tem visto em primeira mão o impacto de destruição de habitat nos chimpanzés que segue, e que afecta populações humanas e animais.

Por isso Jane Goodall é vegetariana e escreveu Harvest for Hope: A Guide to Mindful Eating para nos fazer pensar nas nossas escolhas diárias, e como podemos com pequenas acções fazer a diferença no mundo que nos rodeia. Não pretende ser um tratado exaustivo de como solucionar o problema da alimentação humana numa população que já aumentou para níveis superiores àqueles que o nosso planeta consegue realisticamente suportar, mas sim pequenas ideias que todos nós podemos fazer no nosso dia-a-dia para diminuir o nosso impacto pessoal.

Está na minha lista de livros para ler já há algum tempo, mas os vários livros de viagem que tenho neste momento têm-se sobreposto aos de ciência, mas espero que essa situação se inverta em breve.

Recomendo a todos os que gostam de pensar sobre estes assuntos de sustentabilidade e alimentação, e se lerem antes de mim digam-me se vale tanto a pena como eu espero.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – The Woodcutters

woodcuttersJá não me lembro exactamente onde vi falar deste autor recentemente, se no Goodreads se em algum dos blogs de literatura que sigo, mas mais uma vez o que me espantou foi nunca ter ouvido falar dele e ser considerado um dos melhores (e mais polémicos) autores germanófilos da segunda metade do século XX. Senti-me novamente como quando me deparei com Rubem Fonseca e pensei que tinha que colmatar essa falha.

Depois de alguma investigação vi que este é dos melhores títulos para começar a ler este autor. Contém muitas das suas características (sarcasmo, cinismo, repetições de cenas e situações) mas é mais fácil de ler que algumas das suas obras mais intrincadas. A sinopse pareceu-me deliciosa e algo que me dará prazer ler.

Neste momento tenho-me dedicado mais a ler obras de não-ficção, essencialmente (mas não só) leituras sobre viagens, talvez para contrariar o confinamento, por isso ainda não tive disponibilidade mental para pegar neste livro, mas é um dos próximos na minha lista.

Até lá, Boas Leituras!

Feira do Livro de Lisboa 2020

logos_fll20_novasdatas_v1-02

Rejubilemos todos aqueles que têm como peregrinação anual o Parque Eduardo VII. Depois de ter sido cancelada devido à pandemia, a Apel lança novas datas para a Feira do Livro de Lisboa, e espera as reinscrições dos participantes para poder repensar o espaço de acordo com as normas da DGS aplicadas a feiras e mercados ao ar livre.

O único senão é que esta data significa que as feiras de Lisboa e do Porto se realizarão simultaneamente, o que pode ser complicado de gerir para os pequenos editores e livreiros que poderão não ter recursos para estar presentes nas duas. E são precisamente estes editores que tornam a feira interessante e apelativa, porque gigantes como a Leya encontramos em qualquer supermercado. Mas estou optimista!

Por outro lado, antes do covid-19 estava ansiosa por levar o rebento à sua primeira Feira do Livro, tradição anual que os meus pais iniciaram comigo, normalmente no dia da criança quando haviam sempre ofertas especiais. Agora com esta nova realidade, aliado ao facto do rebento não ser propriamente dócil e paciente, terei de pensar se quero iniciar a tradição já este ano. Mas até lá ainda tenho tempo de pensar, e analisar todos os fatores.

Quem puder/quiser aproveite. É um evento ao ar livre, portanto se as normas forem cumpridas a possibilidade de contágio não é grande. Até lá, Boas Leituras!

 

As Listas de Livros

livros

Há alturas em que estou em modo furioso de leitura e que a meio de um livro já sei qual vai ser o próximo, e quase que desejo acaba rapidamente um para passar ao outro. Assim se passam muitos meses do ano, numa sucessão vertiginosa de títulos, por vezes sem relação, mas muitas vezes como as cerejas, em que um puxa outro.

Depois há sempre uma altura em que me canso, em que os livros que tinha pensado ler afinal não parecem tão apelativos, em que me apetece uma mudança, ou simplesmente abrandar. Agora, por exemplo, tenho dois livros começados mas sem grande vontade de os continuar, não porque não estou a gostar, mas porque preciso de abrandar o ritmo.

É nestes “tempos mortos” que vou pesquisando aqui e ali novas coisas para ler. Leio outros blogues de livros, sigo editoras, mas uma das minhas grandes inspirações vem do Goodreads. Lá estão sempre livros a ser-me recomendados de acordo com o meu histórico de leitura, e com os livros nas minhas “prateleiras”. Mas quando queremos coisas diferentes, o Goodreads tem uma coisa chamada Listopia, que é basicamente uma lista de listas. Nelas temos imensa coisa, como os livros mais votados de 2020, os melhores livros em português, etc, etc.

As minhas favoritas são sem dúvida a lista dos livros de viagem e a dos livros de natureza. Obviamente que não estou interessada em ler todos os livros da lista, até porque são votados pelos utilizadores e nem sempre são muito científicos, por exemplo, mas encontro sempre ideias novas e coisas que tenho vontade de investigar. Vão até lá espreitar e inspirem-se.

Listopia

Favourite Travel Books

Best Nature Books

Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Ballistic Kiss, Sandman Slim #11

sandman slim 11

Quem segue este estaminé sabe que eu gosto de livros de fantasia, e que fiquei rendida a este heroi de fantasia urbana, o Sandman Slim. Ele é basicamente um tipo porreiro a quem a vida pregou umas partidas. Um daqueles duros de coração mole, que não conseguem deixar de nos cativar. Tem muitos trunfos na manga, nomeadamente a capacidade de se deslocar rapidamente entre sitios distantes, e o ser parte homem parte anjo. Ah, e não esquecer que durante um tempo chegou a ser o “director” do Inferno.

É uma série despretensiosa, bem disposta e com muita, muita acção. Ideal para passar umas horas literalmente noutro mundo, ou numa Los Angeles alternativa. Sem ser uma obra prima literária, entretém e cumpre o seu propósito.

Em Agosto sai o 11º volume, e eu estarei na fila da frente para o ler. Até lá, Boas Leituras!

Livraria Às Cegas

as_cegas

Falei aqui há uns dias da nova iniciativa das pequenas livrarias independentes que se juntaram numa plataforma online de nome RELI, na tentativa de chegar às pessoas e mitigar o impacto económico da Covid-19. Uma das iniciativas presentes era esta Livraria às Cegas, em que definimos uma quantia acima de 15€ e combinamos com a livraria aderente. Eles depois escolherão e enviarão um livro.

Sendo um blogue que fala sobre livros senti que tinha como missão contribuir para esta causa, e nada melhor que aproveitar para ter mais um livro de poesia. Assim, contactei a Livraria Poesia Incompleta, e pedi que me mandassem um livro.

O processo foi facílimo, não podiam ter sido mais simpáticos, e em poucos dias tinha cá em casa 2 belos livros de poesia para saborear nesta quarentena. Se ainda não experimentaram, aconselho muito esta iniciativa, têm imensas livrarias por onde escolher.

Deixo-vos uma foto dos livros que recebi, e Boas Leituras!

Livraria as cegas

Livros Que Quero Ler – Guards! Guards!

guards guards

Em 2013, por recomendação de alguns amigos no trabalho, comecei a ler os livros de Terry Pratchett, nomeadamente o seu universo de fantasia Discworld. Discworld, porque o mundo aqui é um enorme disco, com cataratas nas margens, que repousa nas costas de 4 enormes elefantes, que por sua vez estão às costas duma tartaruga gigante que nada pelo espaço. É um mundo repleto de magia e fortemente influenciado por ela.

É também um mundo repleto de livros, cerca de 41, com vários subtemas de histórias centrados em diferentes personagens (como a Morte, por exemplo, um dos meus favoritos). Em teoria, não precisa de ser lido por ordem de publicação, pode começar-se pelo início de qualquer um dos subtemas, e seguir por aí. Digo em teoria, porque sendo eu a ligeiramente obsessiva que vocês já conhecem, obviamente que para mim não há outra maneira de ler senão por ordem de publicação.

A grande mais valia destes livros é serem extraordinariamente bem escritos, com um fino e subtil humor britânico, cheios de personagens e situações que nos fazem lembrar a vid real e soam a caricaturas. As personagens e os diálogos são de excepção e eu dei por mim muitas vezes a rir abertamente. Li os primeiros, e até já aqui recomendei o início da série, mas o sétimo livro foi mais fraquinho, e entretanto enveredei por novos caminhos e nunca mais retomei a série.

Mas entretanto Terry Pratchett, apesar de já não estar entre nós, voltou a ser muito falado em 2019, graças à série Good Omens, baseada num livro que foi escrito a 4 mãos, entre ele e Neil Gaiman. Good Omens é outro livro que ainda não li, mas o sururu à volta desta série fez-me ter vontade de retomar o mundo de Discworld, e avançar para Guards! Guards!. Este é não só o oitavo livro deste universo, mas é também o começo do subtema Nightwatch, que me dizem ser um dos melhores, por isso espero grandes coisas.

Sei que estes livros foram traduzidos para português e ainda se encontram alguns à venda, mas não sei se todos e se ainda estão disponíveis, por isso a minha leitura tem sido toda feita na lingua original.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Vernon Subutex 2

vernon 2

Falei aqui há uns tempos no Peixinho dum livro que me foi proporcionado pelo Netgalley, Vernon Subutex 1, um livro fabuloso duma escritora francesa que me tinha sido desconhecida até então. Vernon é dono de uma loja de discos que não se consegue manter à tona de água e vai deslizando pela vida até se tornar um sem abrigo, desaparecendo lentamente da vista e do pensamento de todos os que o rodeiam, até se tornar invisível.

No entanto Vernon é possuidor dum tesouro, sem saber. As cassetes com as últimas gravações de Alexandre Bleach, uma estrela e guru. Todos procuram Vernon e Vernon desaparece (involuntariamente) da vista de todos. Foi um livro interessantíssimo que diz muito sobre nós enquanto sociedade e que nos mostra que andamos todos num equilibrio muito precário, apesar de acharmos que não.

Mas este era apenas o primeiro volume duma trilogia, e os dois volumes seguintes já foram publicados, mas em francês. Escusado será dizer que não é uma lingua que domine. Curiosamente, este livro já está à venda em formato físico em português, mas considerando que comecei a leitura em inglês parece-me esquisito agora mudar. Já tentei comprar a versão em inglês, mas apenas estava disponível para a kindle app e não para o kindle em si. Finalmente, consegui recentemente pedi-lo no Netgalley, mas o pedido está pendente há semanas, por isso não há grande esperança também por aí.

Enfim, 1st world problems, mas que têm dificultado o meu seguimento da série, que espero que esteja para breve.

Até lá, Boas Leituras!

 

RELI – Rede de Livrarias Independentes

reli

Os tempos estão complicados, como todos sabemos, mas para as pequenas livrarias isso já era corrente há bastante tempo. Gigantes como a Amazon, ou a nível mais local, a Fnac e a Wook, vão tomando conta do mercado já de si bastante pequeno, abafando a presença das pequenas livrarias. No entanto, estes agentes de maiores dimensões tendem a apostar todos nos mesmos “cavalos”, passe a expressão, e autores mais alternativos não conseguem ter expressão. Por isso o papel destas pequenas livrarias, muitas vezes especializadas, é vital para manter a diversidade e o bom gosto.

Por esta altura, e para combater a crise do setor, agravada pelo isolamento social, resolveram juntar-se e formar a RELI, Rede de Livrarias Independentes. Para além duma comunicação conjunta e duma estratégia coordenada para se apoiarem mutuamente, surgiram também algumas iniciativas para nos ajudar a todos em tempo de Covid-19.

Duas que já estão no site são a Fique em casa, mas não fique sem livros, onde oferecem os portes de envio para podermos encomendar os nossos livros favoritos online, ou a minha favorita Livraria às cegas, em que mediante o pagamento de 15 a um dos livreiros, recebemos em casa um livro escolhido por eles, muito à semelhança do Blind Date With a Book, onde podemos escolher um livro sem ver a capa, mas com uma pequena descrição do conteúdo.

Estou tentada a escolher uma livraria de poesia e pedir qualquer coisinha para mim. Digam-me se sentirem também vontade.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Cai o Pano, Poirot #42

poirot 43

Não é segredo para quem segue o Peixinho que eu ando a ler todos os livros do Poirot por ordem de publicação. Tem sido uma tarefa lenta, que se faz ao ritmo do meu apetite literário, mas tem sido muito interessante. Especialmente porque ler na língua original nos mostra apontamentos culturais e de época que muitas vezes são engolidos na tradução.

Assim sendo não é difícil de imaginar que eu quero ler este livro. E de todos os títulos do Poirot, porquê este em particular? Porque marca o final do nosso inestigador belga, no sentido literal. Este seu último mistério, que curiosamente se passa no mesmo cenário do primeiro, culmina com a morte de Poirot, que teve direito a um obituário no New York Times, em 1975 aquando da sua publicação.

Chegar a este livro será também para mim o culminar de uma maratona literária, cheia de boas surpresas e bons momentos.

Até lá, Boas Leituras!