Acabei de Ler – Michael Palin’s Hemingway Adventure

Michael Palin

Ando numa fase em que, por variados motivos, não tenho tido muita cabeça/tempo para ler. No entanto, há sempre tempos mortos para preencher, nem que seja antes de adormecer e resolvi recorrer a um velho amigo (Michael Palin) e um tema que me é confortável, a literatura de viagens.

Assim, dos vários livros dele que tenho no Kindle, resolvi escolher um que toca o tema da literatura em geral. Por altura do centenário do nascimento de Hemingway, Michael Palin fez um documentário para a BBC, a partir do qual escreveu depois este livro. A intenção era viajar por todos os sítios onde o escritor viveu ou viajou, e que foram impactantes na sua vida e na sua escrita. Ao mesmo tempo pudémos avaliar também o impacto que a presença de Hemingway teve nos próprios locais, quer em quartos de hotel onde esteve que foram transformados em verdadeiros santuários (Espanha e Cuba, por exemplo), ou como na Florida onde se faz anualmente um concurso de sósias. Mas um pouco por todo o lado que o escritor pisou, a indústria do turismo capitalizou esse facto, e verdadeiros magotes de gente tentam recriar os passos de Hemingway.

Considerando que este livro foi escrito há exactamente 20 anos atrás, é também interessante ver como muitos desses sítios mudaram e se ajustaram nos dias de hoje, em que há mais turismo que nunca.

De Hemingway ainda só li o Velho e o Mar, há muitos anos, e apesar de ter gostado fiquei com a sensação que muito do significado me estava a escapar pelos dedos da juventude. Agora, depois de ler este livro e de ter ficado a conhecer um pouco melhor a vida do escritor, fiquei com mais vontade de pegar num livro dele e perceber porque é considerado por muitos um semi deus da escrita. Ficará para breve.

Até lá, recomendo este livro a todos os fãs de Hemingway, ou do Michael Palin, ou de literatura de viagem em geral.

Boas Leituras!

Goodreads Review

 

Anúncios

Acabei de Ler – Intimate Ties

intimate ties

Keep scrolling if you prefer to read in English

Robert Musil é um autor que eu desconhecia, mas que resolvi ler tendo em conta a descrição do livro no Netgalley. Entretanto investiguei um bocadinho e percebi que Musil era um escritor austríaco do início do século XX, um dos principais do movimento modernista, e que o seu livro mais importante foi o inacabado “Homem sem Qualidades”.

Estas duas novelas que compõem este livro, Intimate Ties, são uma espécie de treino do autor para aprimorar a sua escrita, uma primeira incursão neste estilo, e o próprio Musil as considerava uma experiência falhada.

Qual então o interesse em ler um livro que é um fracasso à partida? Boa pergunta. Eu só posso falar da minha experiência, que considerei muito enriquecedora. Este livro tem um estilo de escrita muito diferente. Quase faz lembrar o “On The Road” de jack Kerouac, escrito muitos anos depois, no sentido em que parece um desfilar de pensamentos do autor sem edição, quase em escrita automático. Isso teve tanto de desafiante e confuso, como de interessante. Depois, as duas novelas são escritas no ponto de vista feminino, e é como se estivéssemos dentro da cabeça daquelas duas mulheres, a assistir em directo às suas dúvidas, hesitações, convoluções intelectuais. No primeiro conto temos uma mulher casada e feliz, que ao fazer uma viagem sozinha para visitar a filha do primeiro casamento no colégio se vê de algum modo transportada à vida mais livre que viveu antes do casamento, e acaba por cair nos braços dum pedante provinciano mais para provar um ponto a si mesma, do que por verdadeiro interesse. Achei este conto muito interessante, e a corrente dos pensamentos da personagem muito bem escrito.

No segundo conto temos uma mulher indecisa entre dois pretendentes, totalmente diferentes. Este conto foi para mim mais enigmático e difícil de seguir, e não tão interessante como o primeiro.

Mas no geral, foi uma experiência literária interessante, e mais um autor que surgiu na minha lista de leituras futuras.

Boas Leituras!

Goodreads Review

I didn’t know any of Robert Musil’s writings, however I read the book description on Netgalley and decided it was a good book to request. In the meantime I researched the author a bit ans found out that is was a modernist Austrian writer from the early XX century and his most important book was “A Man Without Qualities”.

The two novellas that make this book were a practice before he dove in the modernist style in more depth, and Musil himself considered them a failure.

So, what’s the point in reading a book that the author himself deems a failure? That’s a good point. I can only speak from my experience, and I can assure you I found it very interesting, as the book as an unique writing style. It somehow resembles Jack Kerouac’s “On The Road”, in the sense that it seems written in a spur of a moment, with little to no editing. Just a train of thoughts written in auto pilot. That was  as challenging and confusing, as it was rewarding.

The two novellas are written in the female view point, as if we were inside those women’s minds, inside a live broadcast of their thoughts and emotions. The first one was a happily marries woman, that embarks on a train ride to the country to visit her daughter from a previous marriage. There, she finds herself snow trapped, and starts to recall how was life before marriage, how she was free and experimented everything, and she ends up allowing herself to fall for the sweet talk of a pedantic man of the small village. There are many interesting scenes in this novella, and it makes you think.

The second novella we have a woman that cannot decide between two suitors, and this one was more difficult to follow and a bit less interesting than the first one.

But it was a great experience, that added another author to my list of future readings, and I recommend it to all the curious people out there.

Happy Readings!

Acabei de Ler – Message from the Shadows, Antonio Tabucchi

antonio tabucchi

Keep scrolling if you prefer to read in English

Como já devem ter reparado pela falta de posts, tenho andado novamente sem grande capacidade de leitura. Coisa que não se prevê que melhore nos próximos meses, mas faz-se o que se pode.

No meio de todo o marasmo chegou-me às mãos, através do Netgalley, mais uma pérola de Antonio Tabucchi, um dos meus novos autores favoritos. Tabucchi tem uma poesia muito própria na sua escrita, e para além disso tem uma profunda ligação ao nosso país, por isso cada livro é um prazer ler e desfrutar.

Este, como o nome indica, é um livro contos, ou pequenas histórias, que são como olhares furtivos a um momento especifico na vida das personagens que as compõem. Não têm uma história complexa, acção a rodos, mas têm um humor muito particular, uma visão do mundo própria, uma sensualidade suave, e muitas, muitas camadas para lá daquilo que lemos.

Tenho algumas histórias favoritas, começando logo pela primeira (The Reversal Game) que segue um grupo de amigos no Portugal pré 25 de Abril, mas também The Train That Goes to Madras, porque nos faz questionar a nossa ética e a nossa moral, e The phrase that follows this is false: the phrase that precedes this is true, porque é simplesmente estranha e bonita.

Recomendo a todos os fãs de Tabucchi, a todos os que gostam de histórias diferentes e envolventes, e a quem gosta de boa literatura em geral.

Boas Leituras

Goodreads Review

Tadeus didn’t expect much more than their complicity in staying up to the early hours: when he read poetry, he’d lose all notion of time. He said: it’s like when I write poetry, time goes fsssss, like a deflating balloon, I’m in a world with no atmosphere, a vacuum – when I read it, too – don’t you find it has the same effect?

As you might have noticed for the lack of blog posts, I have been on a reading rut lately. I don’t expect it to get better in the coming months, but I’ll do my best.

In the middle of all this boredom, Netgalley provided me with a new Antonio Tabucchi book. He is one of my new favourite authors, due not only to the connection he shares with Portugal, but also because I love his peculiar writing style.

As the name shows, this book is a collection of short stories that are like glimpses into the life of each character, a look at a specific moment in time on their lives. The story is not convoluted and complex, but is rich in peculiar sense of humour, soft sensuality, a unique world vision and many layers behind what we read.

I have a few favourite stories, starting with the first one, The Reversal Game, as it follows a group of friends in the post revolution Portugal, so it is dear to my heart. But I also love The Train That Goes to Madras, as it makes us question our own moral and ethics, and The phrase that follows this is false: the phrase that precedes this is true, because it is just weird and beautiful.

I recommend it to all Tabucchi’s fans, everyone that likes different, engaging stories and good literature fans in general.

Happy Readings!

Acabei de Ler – Ardalén

Ardalén

Quem anda pelo Peixinho já sabe que eu gosto muito de BD, e dentro dela tenho algumas preferências. Já falei de Miguelanxo Prado, um autor galego, aqui e aqui. Acho que posso mesmo dizer que é dos meus autores favoritos, com uma estética inconfundível. As suas histórias vão também do humor, à sensualidade, ao fantástico inspirado pela sua Galiza.

Este livro foi-me oferecido no Natal de 2016, no seu galego original e eu andei a guardá-lo como um tesouro, com pena de o ler a acabar a magia. Mas finalmente arranjei tempo de qualidade, com a dedicação que este livro merece, e, obviamente, terminei-o num dia.

Ardalén, que é o nome que se dá a um vento que vem do Atlântico, do imenso mar, e que carrega consigo a nostalgia e a história do povo galego, permeia toda esta história, que é relativamente simples. Sabela, uma mulher de 40 anos que se divorcia e está desempregada, quer saber quem é buscando as duas raízes. Sabe que teve um avô que andou embarcado e que acabou por morrer no estrangeiro, mas não sabe mais nada dele. A não ser a aldeia de onde é originário, e é aí que vai começar a sua busca por mais informações, na esperança de ganhar também um  sentido para a sua vida.

É aí que Sabela conhece o velho Fidel, que está fechado na sua casa rodeado das suas recordações do tempo que passou no mar, e que se senta regularmente à beira da floresta quando sopra o Ardalén, para ver as baleias que vivem no meio dos eucaliptos e retornam ao mar. Entre os dois gera-se cumplicidade e amizade, e as coisas tomam rumos que nós não esperávamos. Como sempre, Miguelanxo tem um olhar acutilante e muito certeiro sobre a vida e a maledicência nas aldeias, e não perde a sua oportunidade de nos mostrar essa dinâmica.

Como sempre com ilustrações belíssimas, de tirar o fôlego e de nos fazer entrar dentro da história. Recomendo a todos os amantes de BD, mas também àqueles que gostam de sonhar com histórias belas e diferentes.

Goodreads Review

Boas Leituras!

Acabei de Ler – The Doll Maker

DOLLMAKER_HB_DEMY.indd

Keep scrolling if you prefer to read in English

O terceiro livro que li este ano foi o primeiro que verdadeiramente me entusiasmou. Mais uma oferta do Netgalley, escolhi-o essencialmente pelo titulo e pela pequena sinopse, porque me pareceu uma história diferente do habitual, e não estava enganada.

The Doll Maker apresenta-nos a história de Andrew e Bramber, duas pessoas diferentes e especiais mas que têm em comum o amor por bonecas de colecção, daquelas de porcelana feitas à mão. Na realidade, Andrew é o Doll Maker do título do livro, um mestre na sua arte. A história é-nos revelada lentamente, nada é dado antes de ser necessário, arte que se encontra perdida em tantos livros de agora, em que tudo é exposto preto no branco logo de inicio, como se os leitores não fossem capazes de relacionar conceitos, ler nas entrelinhas ou tolerar um pouco de ignorância inicial para ir descobrindo tudo a seu tempo, como quem desembrulha um presente.

Dentro deste livro temos ainda outro. Um livro de contos de Ewa Chaplin, uma fazedora de bonecas também, que escreveu estes contos que são tão fantásticos e grotescos como as bonecas que a tornaram famosa. Este livro é um dos favoritos de Bramber, e Andrew lê-o na esperança de a conhecer melhor. Acho que ambos se identificam com toda aquela estranheza e as histórias dão um pano de fundo às personagens principais, fazendo-nos vê-las com outros olhos, e percebendo as suas motivações.

Mas esta dualidade faz com que tenhamos que estar sempre a prestar muita atanção à trama, porque a menor distracção faz-nos perder o rasto aos personagens, ficar sem saber muito bem onde estamos, quer na história, quer geograficamente (Andrew está a fazer uma viagem por Inglaterra), quer cronologicamente, já que a vida das histórias principais vai-nos sendo revelada aos poucos sem nenhum marcador temporal para sabermos às quantas andamos.

Esta é uma história de amor, diferente e esquisita, mas é essencialmente um livro que nos fala sobre a diferença, sobre como sobreviver num mundo cheio de preconceito e julgamento sendo especial, e os mecanismos de sobrevivência que as pessoas desenvolvem. Foi um belissimo livro, uma mistura do fantástico com o real (há quem o considere ficção especulativa) que esteve comigo bastante tempo, como um tesouro.

Recomendo a todos os que gostam de histórias novas, diferentes, sobre o bizarro e o inexplicável, no fundo sobre todos nós.

Boas Leituras!

Goodreads Review

The third book I read this year was the first one that really excited me. It was another one requested on Netgalley, and I chose it essentially because of its title and description. It seemed to be an unusual story, and indeed it was.

The Doll Maker shows us the story of Andrew and Bramber, two very different and special people that share the love for collectible handmade dolls. In all fact, Andrew is the Doll Maker from the book’s title, or at least one of them, and he is a master in what he does. The story comes to us slowly, nothing is given before it is really necessary, and this was also an art. In most books nowadays we are told everything from the start, as if we could not think for ourselves or cope with the suspense of not knowing all the details immediately.

 Then there’s the book inside the book. Andrew is making a trip around the UK, and while he does so he reads the short story book from Ewa Chaplin, also a doll maker, and who is Bramber’s favourite author. He does so in the hopes to get some insight about Bramber, but while he is at it, he finds out the stories really relate to him on a very personal level. These stories help us understand some of the background for the main plot, historically, emotionally and help us understand the characters motivations.

 Due to this, we can never stop paying full attention while reading this book, as we might lose the plot, or stop understanding where and when we are in the main story. It is a challenge, as we are unaware of the exact timescales in which we navigate, but it is this challenge that makes this a great book.

This is a love story, but a different, special one. Essentially this book celebrates difference, how to embrace it and survive in a world full of prejudice and judgement, and the coping mechanisms we end up developing. This book was a treasure that stayed with me a long time.  

 I recommend it to all of those who like beautiful , weird stories, about the bizarre and the unexplained, which means about each and every one of us.

Happy Readings!

Acabei de Ler – The Shadow Rising, Wheel of Time #4

Wheel of time

Eis-me chegada ao final do quarto volume daquela que é a maior (em tamanho) série de fantasia que eu já me propus ler. É em parte por sua causa que o meu desafio do Goodreads desceu este ano para apenas 30 livros, porque a demorar um mês a ler cada um, a progressão vai ser lenta.

Este livro começou de forma lenta e aborrecida para mim, focando-se nos grupos de personagens que menos simpatizo, os Seanchan e os Whitecloacks, ou noutras palavras os vilões que estão convencidos que são bons. Os personagens são lineares e é uma parte da história que demora a desenvolver, por isso custou-me entrar na história.

Mas rapidamente seguimos para os personagens principais, muitos dos quais tiveram uma evolução muito grande neste livro, e tornaram-se “adultos”, se assim podemos dizer. Por outro lado, como o Mal desponta um pouco por todo este mundo, o grupo central foi obrigado a separar-se para cada um desempenhar uma parte fundamental nesta luta contra as trevas, e isso também os ajudou a saírem debaixo da sombra de Rand al’Thor e Moraine, dois dos que tinham dominado a narrativa até aqui.

No geral continuo a gostar o suficiente destes livros para continuar a seguir a saga. O enredo melhorou bastante e o ritmo também acelerou. No entanto continua para mim a ter algumas falhas importantes, como personagens mal construídas (é-me penoso ler as partes que incluem Nynaeve, supostamente uma mulher de caracter forte, mas que na realidade é apenas uma bully mal-educada) e demasiada descrição detalhada de coisas que não interessam e que me fazem perder o fio à meada.

Mas recomendo a todos os que gostam dum belo épico de fantasia, que nos deixa agarrados às páginas para saber o que acontece a seguir.

Boas Leituras!

Goodreads Review