Feira do Livro de Lisboa 2022

FLL 2022

Já foram anunciadas as datas para a Feira do Livro de Lisboa 2022 que vai ser na mesma altura do ano passado. Vai realizar-se de 25 de Agosto a 11 de Setembro, cerca de duas semanas e meia de muita animação e sugestões de leitura.

O ano passado consegui finalmente lá ir, depois de alguns anos de interregno, e este ano calha novamente em altura de férias, por isso espero conseguir ir laurear a pevide no meio dos livros, mesmo que acabe por só comprar um gelado e uma água como em 2021.
O ambiente é sempre maravilhoso, e é um local onde dá prazer passear. Quem consegue ir ao final do dia, mesmo na hora final de abertura da feira, tem sido ainda presenteado com descontos especiais, por isso se não têm cachopos pequenos, ou têm uma boa babysitter, aproveitem para fazer um belo rombo na carteira.
Até lá, Boas Leituras!

Feira do Livro de Lisboa 2021

Peixinho de Prata_Feira do Livro 2021

Ainda têm até Domingo para visitar a Feira do Livro, se ainda não o fizeram. Eu, que já não ia desde 2017, consegui ir nas minhas férias. E que bem que soube passear ao sol, depois de tantos confinamentos/isolamentos e covidices em geral, e simplesmente ver capas e mais capas de livros que queria comprar.

A primeira diferença é que agora perdi muito mais tempo a ver livros de crianças e a querer comprar todos para trazer para casa. Mas, considerando que o jaquinzinho ainda é muito destrutivo, vamos aumentar a biblioteca dele mais tarde.

Gostei muito de passear na feira, de ver muita gente imersa em livros, com muitos sacos na mão. Eu, por variadíssimos motivos, acabei por só comprar um livrinho infantil com autocolantes e nada para mim. Por um lado, ainda tenho muitos livros físicos cá em casa por ler, e pouco espaço para albergar mais e isso ajuda-me a controlar os impulsos gastadores. Por outro lado, estou a ficar cada vez mais pitosga, e cada livro que abria parecia que tinha a letra minúscula. Isto porque já aumentei o tamanho de letra no Kindle umas 5 vezes, já só tenho umas três frases por página. Enfim, tenho mesmo que me começar a habituar a audiobooks.

Ia com a ideia de comprar finalmente um livro de João Reis, mas não fiz bem o trabalho de casa e acabei por não perceber que estava logo num dos primeiros pavilhões que tinha visitado. Assim, no fim de ter visto tudo, voltei ao pavilhão da 20/20 em busca de João Reis. Quando lá chego, os livros estavam na prateleira mais alta do expositor e euq eu sou baixota tive que pedir ajuda a um colaborador. Tive que escolher um para ver, ele tirou e foi prontamente à sua vida. Como esperado, achei a letra demasiado pequena, mas isso nem me ia deter desta vez. Mas a sinopse não me seduziu, achei um bocadinho tristonho e não estou em fase de ler coisas assim. Só que o colaborador já tinha ido à sua vida, eu já tinha 2h30 de feira debaixo dum belíssimo sol que me estava a deixar doida, e acabei por desistir e ir à minha vida também.

Já em casa, cheguei à conclusão que se tivesse lido a sinopse em inglês não acharia que o livro era tristonho, e teria possivelmente voltado com ele para casa, mas enfim. Ficará certamente para outras núpcias porque ando mesmo de olho neste autor.

Para o ano, se tudo correr bem, haverá mais feira e com mais livros. Este ano contentei-me com um belo gelado, uma água fresca, e um passeio que me alentou a alma.

Boas Leituras!

Faltam Duas Semanas

feira livro lisboa 2021

Tenho a certeza que todos os amantes de livros lisboetas estão bem cientes que a Feira do Livro vai iniciar-se exactamente daqui a duas semanas, mas nunca é demais relembrar. 

Este ano será diferente, com muita gente já vacinada, ou recuperada de Covid-19, a liberdade para visitar este espaço será maior. Eu sei que tenciono lá ir, mesmo sabendo que a minha crónica falta de espaço não me permite comprar mais livros. Mas vale a pena nem que seja para absorver o ambiente. 

E vocês, estão a pensar lá ir? Contem-me as vossas compras!

 

Feira do Livro de Lisboa 2021

feira livro lisboa 2021

Obviamente não podia deixar passar o facto que já temos datas para a Feira do Livro de Lisboa deste ano. À semelhança de 2020 vai ser mais para o final do verão, na esperança que a pandemia esteja mais controlada nessa altura, de 26 de Agosto a 12 de Setembro. Boa altura, ainda apanha uns dias das minhas férias.

Já nem sei há quantos anos não vou à Feira do Livro, mas será pelo menos desde 2018 (se não for mais). Já tenho o bichinho da saudade, e espero mesmo poder lá passar este ano, com o petiz, para começar a criar a mesma tradição que começaram comigo. Todos os anos comprar pelo menos um livro de criança na feira, e passear a comer queijadas de Sintra, compradas num vendedor ambulante. É uma das minhas memórias de infância felizes, especialmente de ir no dia da criança e receber ainda mais miminhos com cada livro comprado.

Espero poder transmitir esta magia ao meu jaquinzinho, que já adora livros, mesmo que por enquanto nenhum fique inteiro por muito tempo.

Encontramo-nos por lá?

Até lá, boas leituras!

Começou a Feira do Livro 2020

logos_fll20_novasdatas_v1-02

Começou na passada quinta feira a edição deste ano da Feira do Livro de Lisboa, após ter sido adiada por causa do Covid-19. Após perdas de faturação sérias, os editores e livreiros contam com este balão de oxigénio para ajudar o sector. Terá regras definidas para a tornar segura, que decerto tornarão a experiência diferente, mas que com certeza não serão impeditivas de desfrutarmos dum belo passeio e comprar alguns títulos que andamos a namorar.

Este ano tinha pensado comprar alguns livros para criança para aumentar a biblioteca do rebento, já que a minha não estica mais, mas ele tem andado tão rabujento que ainda não sei se conseguirei ir.

Se forem, partilhem a vossa experiência, estará aberta até dia 13.

Boas Leituras!

Feira do Livro de Lisboa 2020

logos_fll20_novasdatas_v1-02

Rejubilemos todos aqueles que têm como peregrinação anual o Parque Eduardo VII. Depois de ter sido cancelada devido à pandemia, a Apel lança novas datas para a Feira do Livro de Lisboa, e espera as reinscrições dos participantes para poder repensar o espaço de acordo com as normas da DGS aplicadas a feiras e mercados ao ar livre.

O único senão é que esta data significa que as feiras de Lisboa e do Porto se realizarão simultaneamente, o que pode ser complicado de gerir para os pequenos editores e livreiros que poderão não ter recursos para estar presentes nas duas. E são precisamente estes editores que tornam a feira interessante e apelativa, porque gigantes como a Leya encontramos em qualquer supermercado. Mas estou optimista!

Por outro lado, antes do covid-19 estava ansiosa por levar o rebento à sua primeira Feira do Livro, tradição anual que os meus pais iniciaram comigo, normalmente no dia da criança quando haviam sempre ofertas especiais. Agora com esta nova realidade, aliado ao facto do rebento não ser propriamente dócil e paciente, terei de pensar se quero iniciar a tradição já este ano. Mas até lá ainda tenho tempo de pensar, e analisar todos os fatores.

Quem puder/quiser aproveite. É um evento ao ar livre, portanto se as normas forem cumpridas a possibilidade de contágio não é grande. Até lá, Boas Leituras!

 

Feira do Livro 2019

feira do livro 2019

Pois é, já estamos a chegar àquela altura do ano em que qualquer amante de livros se sente entusiasmado e predisposto a separar-se de alguns euros em troca de boa leitura (hum… talvez isso seja o ano todo).

Na realidade, como eu já tenho falado aqui, a Feira do Livro tem sido tomada de assalto pelos grandes grupos editoriais e tem perdido ao longo dos anos aquela mística de livros esquecidos no fundo de baús que são verdadeiros tesouros a preços simpáticos. Quantas vezes eu descobri autores novos simplesmente porque a capa e o ser livro do dia me chamava a atenção e saía da feira com mais um “amigo”.

Mas mesmo assim a feira não perde a sua aura de festa, de local privilegiado para se dar um passeio no meio de gente com o mesmo interesse que nós, ao mesmo tempo que se come um gelado ou outra iguaria das muitas que hoje populam o espaço. Quando era miúda, feira era sinónimo de queijadas de Sintra, já que os meus pais compravam um pacote para a família partilhar.

Por isso de 29 de Maio a 16 de Junho passem pelo Parque Eduardo VII e digam-me como aquilo está, que este ano parece-me que vou ter de passar a oportunidade.

Prova Superada

Feira do Livro 2018

Feira do Livro terminada e orgulhosamente digo que consegui superar o desafio de 2018 e não comprar nem mais um livro para as minhas estantes cá de casa. Que neste momento mais que estantes são já cadeiras, topos de móveis, entre outras coisas onde caibam livros em condições de semi precaridade.

E, perguntam vocês, como consegui semelhante proeza? Não fui. Custou-me, até porque trabalho a um pulinho de lá, mas evitei-a como quem evita a peste. E pronto, para o ano haverá mais, e se me ajudarem a libertar as minhas estantes eu poderei comprar mais qualquer coisa. Ali, no canto do Peixinho, há sempre livros à procura de casa.

Boas Leituras!

Feira do Livro 2018

Feira do Livro 2018.jpg

Começa já amanhã a 88º Feira do Livro de Lisboa, no sítio do costume e dizem que este ano vai estar ainda maior. Ver para crer, como São Tomé, e nem sempre maior tamanho significa maior qualidade ou maior diversidade de escolha, mas isso digo eu que sou uma céptica.

No entanto este ano tenho um dilema acrescido que é, como raio me vou manter fiel ao meu próprio desafio de não comprar livros em 2018, se já as pontas dos dedos me tremem só de pensar em aumentar a minha colecção de poesia. Quer dizer, há que perceber que ainda não tenho nenhum exemplar de Manuel de Freitas, por exemplo.

Infelizmente acho que a solução terá de passar por evitar o local do crime, e nem sequer passar por lá.

Mas, todos vocês, pessoas normais e sem problemas sérios de espaço como este Peixinho de aquário demasiado pequeno para os seus livros, aproveitem a ocasião. É um sítio encantador para passear, e saem de lá com um saco cheio de guloseimas se assim quiserem.

Boas Leituras!

A Gata

Colette

Por razões familiares tenho andado muito pelo Hospital de Santa Maria. Quase todos os dias, ao vir embora, passo pelo Estádio Universitário onde está uma daquelas “Feiras do Livro” que mais não são que uma tenda que alberga uns fundos de catálogo de gosto duvidoso, essencialmente sobre jardinagem e dicas alimentares que estariam em voga nos anos 80.

Mas de tanto lá passar acabei por sucumbir à tentação e ir espreitar. Era mais ou menos o que eu já esperava, uns livros manhosos de auto-ajuda a tentar ajudar a carteira do autor e a falhar redondamente, Feng-Shui e Yoga desactualizado e outras pérolas semelhantes.

Mas, muito bem escondidos lá no meio, pude encontrar verdadeiros tesouros. Por um lado bastantes edições da mesma editora do livro Páscoa Feliz de José Rodrigues Migueis, que faz edições facsimiladas e eu li algures no inicio deste ano. E se são atentos, sabem do fascínio que o Peixinho tem por clássicos da literatura erótica. Pois eis que mesmo à minha frente estava o livro que vêem acima, A Gata, de Colette, uma escritora francesa do início do século XX e que eu já andava de olho há bastante tempo. Com um preço muito simpático, era o último exemplar disponível.

Pronto, não fui capaz de resistir e lá veio comigo para casa. Felizmente na prateleira da poesia não houve nada que me conquistasse o coração, apesar de ter vacilado bastantes vezes.

Só prova que em qualquer lado com livros há a possibilidade de se encontrar bons tesouros. Está na lista de livros a ler em 2018.

Boas leituras.