Vaidade, Tudo Vaidade!

antonio-nobre-1

Vaidade, meu amor, tudo vaidade!
Ouve: quando eu, um dia, for alguem,
Tuas amigas ter-te-ão amizade,
(Se isso é amizade) mais do que, hoje, têm.

Vaidade é o luxo, a gloria, a caridade,
Tudo vaidade! E, se pensares bem,
Verás, perdoa-me esta crueldade,
Que é uma vaidade o amor de tua mãe…

Vaidade! Um dia, foi-se-me a Fortuna
E eu vi-me só no mar com minha escuna,
E ninguem me valeu na tempestade!

Hoje, já voltam com seu ar composto,
Mas eu, ve lá! eu volto-lhes o rosto…
E isto em mim não será uma vaidade?

António Nobre, in ‘Só’

Acabei de Ler – The King of Nightmare

king of Nightmare

Keep scrolling if you prefer to read in English.

Já há muito tempo que eu não lia nenhum livro do Netgalley, apesar de regularmente dar uma voltinha por lá a ver as novidades. Mas agora a maioria dos livros são inacessíveis, por isso não gosto muito de ficar entusiasmada para depois não receber nada. Mas vi este livro classificado como horror, coisa que nem costumo ler, e por algum motivo que ainda hoje me escapa, resolvi lê-lo.

Apesar de já o ter acabado há alguns dias, ainda não tinha escrito nada sobre ele, precisei de algum tempo para pensar se tinha gostado ou não. Em King of Nightmare temos dois mundos. O nosso e Via’rra, o mundo onde podemos encontrar a criadora de todas as coisas e o destruidor de todas as coisas. Um alimenta o outro, e vivemos em equilibrio. Mas algo perturbou esse balanço perfeito, com repercussões no nosso mundo e em todos os outros. Vamos ter um longo e sinuoso caminho a percorrer na tentativa de salvar o Universo.

As personagens são interessantes e bem construídas, o Rei do Pesadelos é um dos personagens mais importantes, e mais bem conseguidos, mas todos os humanos são também muito credíveis. A história é bonita e cativante, mas o ritmo do livro é um bocado lento. Tive que interromper duas vezes e intercalar com Poirots, para conseguir chegar ao fim. Mas de cada vez que interrompia a história ficava em pano de fundo na minha cabeça e tinha sempre que voltar a ela.

Não acredito que vá ser traduzido para português, mas não é daqueles que tenho mais pena. Foi uma leitura que entreteve, mas que não me deixou deslumbrada. Vamos ao próximo.

Boas Leituras!

Goodreads Review

It’s been a while since I last requested a book from Netgalley, even tough I still check it regularly to see the new releases. Unfortunately, most of the interesting titles don’t allow you to request them, only place them on a whish list, and it’s annoying to keep being turned down, so I stopped bothering. Nonetheless, saw this book there and decided to request it. Still have no clue why, as I very rarely read any horror, but I guess the tittle appealed to me. 

I finished it a few days ago, but I needed some time to decide whether I liked it or not. In this book we are shown 2 worlds. Ours and Via’rra, where we can find the creator of all things, and the destroyer of all things. One feeds the other, and balance is maintained in the Universe. But a past event has strained this delicate balance and all worlds are being impacted, including ours. This is what brings the King of Nightmare to Earth, to try and find the missing piece and restore all things. 

The chatacters are nice and the story is well built. The King of Nightmare is the most important piece in the story and is a really cool character, but all humans are also interesting and engaging. It is a pretty story, but very slow paced and I had to read 2 Poirot’s in between to try and build momentum again. However the story did not let go of me, and stayed in the back of my mind until I finished the book. 

I don’t think it will be translated into Portuguese, so we will have to read the original version, which is not a bad thing. And now, on to the next.

Happy Reading!

Acabei de Ler – Jogo Macabro, Poirot #33

Poirot 33

Keep scrolling if you prefer to read in English

Ainda estou a ler o livro de terror do Netgalley, que chegou a uma parte que me aborreceu, por isso fiz mais um intervalo para pegar num Poirot. Já cheguei ao trigésimo terceiro, o último é o quadragésimo segundo, mas como há alguns de contos pelo meio ficam oficialmente a faltar-me apenas 6 para terminar esta saga de ler todos os Poirots por ordem de publicação. Já se vê luz ao fundo no túnel desta maratona.

Curiosamente, este foi mais um daqueles raros livros que ainda não tinha lido antes nem visto o episódio, o que tornou a leitura muito mais interessante. Neste livro a mais recente amiga de Poirot, e escritora de livros policiais, Ariadne Oliver, é a personagem que ajuda a investigar o caso. Na realidade, ela foi convidada por um rico dono duma propriedade rural para criar um mistério do género caça ao assassino, em que as pessoas têm de seguir pistas e descobrir o autor dum crime para ganharem um prémio na festa anual da propriedade. Mas ela pressente que algo não está bem neste contexto e pede a ajuda de Poirot, e o resto é história.

A história estava bem construída e interessante, e o final é surpreendente e fez sentido, mas para mim não foi dos melhores livros da Agatha Christie. Haviam imensas personagens, ao ponto de se tornar confuso, e nenhuma delas estava bem desenvolvida. Num livro como estes a parte emocional também conta. As personagens são normalmente complexas e bem construídas e acabamos por gostar mais dumas que doutras, apostar que o assassino é X, e desejar que não seja Y. Mas aqui todas as personagens eram lineares, por isso não interessava realmente quem tinha sido o autor. Mesmo as vítimas não inspiraram simpatia.

Por isso recomendo a todos os fanáticos de Poirot que querem ler todos os livros, mas se nunca leram Poirot há outros bem melhores por onde começar.

Boas Leituras!

Goodreads Review

I am still reading the fantasy/horror book from Netgalley, but it got to a part that annoyed me, so I decided I needed a break and read a Poirot instead. I am now on the 33rd book and the last one is the 42nd. As there a few short stories in the middle, I am officialy only 6 books away from the end of the Poirot marathon.

These was one of those rare books that I had not previously read, nor seen the episode, which was refreshing. In here, Ariadne Oliver, a mistery novelist that has met Poirot on a previous book, is asked to create a assassin hunt, similar to a treasure hunt, on the grounds of a rich country man that is having the yearly fête. The contestants have to follow clues to discover the victim and the perpretator. Ariadne senses something is not quite right in this scenario, and asks her friend Poirot to come to the fête, under the pretence of giving the prizes away, and prevent what ever is about to happen. However, he finds he is unable to do so, and so we have a murder in our hands. 

The plot was coherent and well built, the twist was not predictable, however this was nowhere near my favourite book. There were too many characters, and as a result they were all under developed, and I ended up not caring about any of them, which also means I did not care who had commited the murder, as no one inspired my simpathy. In these type of books, the emotional side also matters, and we need to care about the people we are reading about. But here, all of them were flat. 

So, I recommend this book to all die hard Poirot fans, that are reading his books in publication order, but not much else. 

Happy Reading!

Epitáfio Para um Poeta

jose-regio

As asas não lhe cabem no caixão!
A farpela de luto não condiz
Com seu ar grave, mas, enfim, feliz;
A gravata e o calçado também não.
Ponham-no fora e dispam-lhe a farpela!
Descalcem-lhe os sapatos de verniz!
Nao vêem que ele, nu, faz mais figura,
Como uma pedra, ou uma estrela?
Pois atirem-no assim à terra dura,
Ser-lhe-á conforto:
Deixem-no respirar ao menos morto!

José Régio

Acabei de Ler – Crime em Hickory Road, Poirot #32

poirot 32

Keep scrolling if you prefer to read in English.

Comecei a ler um livro do Netgalley, supostamente de terror. Só que a história estava a demorar muito a desenvolver e comecei a ficar aborrecida. Para evitar desperdiçar um momento de intensa vontade de ler, peguei num livro de mistério que vi recomendado em vários booktubes que sigo. Mas como não leio as sinopses antes de pegar nos livros, não percebi que este girava à volta de crianças, e que uma delas era morta (não é spoiler, sabe-se na primeira página do livro). Ora, isso foi um grande erro de cálculo, porque neste momento ainda não consigo ler sobre esse tipo de coisas porque me deixa um bocadinho angustiada. Espero voltar ao normal à medida que o jaquinzinho for crescendo.

Depois de duas desilusões seguidas, nada como voltar ao conforto de um velho amigo que nunca desilude, o nosso Poirot. Este é já o trigésimo segundo volume da série e, não contando com os volumes de contos, só me faltam 7 para o grande final. Aproxima-se a passos largos, e já comecei a deitar o olho à Miss Marple para não me sentir orfã de Agatha Christie.

Mas este foi um livro muito bom, no sentido em que nunca tinha lido nem visto o episódio, por isso tudo foi novidade. Não consegui adivinhar quem tinha sido o assassino, e as personagens estavam muito bem construídas. Miss Lemon, a fiel secretária do Poirot, tem uma irmã que dirige um hostel para estudantes em Londres. Quando começam a acontecer pequenos furtos, ela fica muito ansiosa e Miss Lemon comenta o caso com Poirot, cuja curiosidade é assim desperta pela aleatoriedade dos objectos roubados.

As personagens são interessantes, o mistério é bem construído sempre com Poirot presente e o livro acompanha-nos por um par de horas bem passadas. Recomendo a todos os leitores que gostam de mistérios.

Boas Leituras!

Goodreads Review

I started reading a book I requested from Netgalley, a kind of horror/fantasy story. However it was a slow burner, and I discovered I was not quite in the mood, so I decided to take a break. As I did not wish my sudden will to read to be wasted, I picked up a mistery book that I saw being praised in several Booktubes that I follow. However I soon discovered it involved the death of a child, and I cannot bear to read anything about that now, so I had to drop it as well. 

After 2 disappointments in a row, I turned to an old friend that never lets me down, a Poirot mistery. This is already the 32nd Poirot book I am reading, so, discounting the short stories, I have only 7 left to finish. I am already checking Miss Marple misteries, so I know where to go next. 

This was a really good one, as I had not read it or seen the episode before, so all was new. I also did not guess the culprit, so it was a full success. Miss Lemon, Poirot’s secretary, has a sister that manages a student’s hostel in Hickory Road. When strange things start to disappear, she confides in Miss Lemon, and in turn, the weird assortment of items spikes Poirot’s curiosity. 

It is a good mistery, Poirot is present from beginning to end, the characters are good and all in all is a good book that we can read in a few hours. I recommend it to anyone who loves a good mistery. 

Happy Reading!

Acabei de Ler – Noivos à Força

noivos a forca

Keep scrolling if you prefer to read in English.

The Unhoneymooners no original, este é um livro leve, despretensioso e ideal para passar uma tarde ou duas. Após ter começado um livro de fantasia/terror do Netgalley, grande e cheio de descrições complexas, senti necessidade de fazer uma pausa e ler qualquer coisa descontraída. Vi este livro num booktube que sigo e resolvi que era a escolha certa para descontrair. 

E estava certa. É um romance simpático e descomplicado, daqueles em que os protagonistas não se suportam no início e acabam por perceber que se amam, fim da história. Olive tem uma irmã gémea que se vai casar, e tem planeada uma festa de arromba e uma lua de mel de sonho. Todos ficam doentes no copo-de-água menos Olive e o seu inimigo favorito, Ethan, o irmão do noivo, que resolvem aproveitar a lua-de-mel para não perderem o dinheiro. E o resto já se está mesmo a ver, não é?

Foi divertido, deu para passar umas horas distraída, e é uma excelente leitura para estar à beira mar numas próximas férias. 

Boas Leituras!

Goodreads Review

The Unhoneymooners is a light read, a nice book to spend one or 2 afternoons with. A while back I started an urban fantasy/horror book from Netgalley, full of descriptions, complex carachters and a intricate new world, so after a while I felt the need to take a break and breathe a little. I saw this book being recommended on Booktube and decided to have a go. 

And I’m glad that I did, because this was great fun. It’s a enemies to lovers kind of romance, uncomplicated and easy to read. It’s about Olive and Ethan, that can´t stand each other until they find out they love each other. Olive’s sister is getting married and has a lavis wedding prepared. However everybody gets food poisoning apart from Olive and Ethan, the groom’s brother. So now they are stuck with each other while they enjoy the non refundable honeymoon that Olive’s sister had won on a contest. The rest is history. 

It was fun, entertaining, and I believe it will be an excellent read for the upcoming vacations, sitting by the pool or the ocean.

Until then, Happy Readings!

Finalistas do Women’s Prize for Fiction

womens orize fiction 2021

Gosto de andar de olho nos prémios literários porque normalmente arranja-se por lá boas ideias de leitura. Este ano andei a seguir o Women’s Prize for Fiction, que anunciou a semana passada a sua lista de finalistas. Este prémio literário teve origem em 1996, e surgiu como resposta ao facto que todos os finalistas do Booker Prize de 1991 serem homens. Premeia obras literárias em inglês, escritas por mulheres e editadas no ano anterior.  

Este ano chamou-me particularmente a atenção por duas razões. A primeira é Piranesi, de Susanna Clarke ter chegado aos finalistas, esse que foi sem dúvida o melhor livro que li este ano e que ainda ressoa cá dentro. Depois por outra das autoras ser Claire Fuller, de quem já li um livro que adorei, e que tenho muitos outros à espera no meu kindle. 

Isso dá-me vontade de olhar para as outras finalistas e escolher algo para ler. Vejam uma pequena sinopse em baixo. 

Susanna Clarke – Piranesi. Já disse tudo o possível aqui, só me resta aconselhar mais uma vez a leitura.

Claire Fuller – Unsettled Ground. Parece-me muito interessante, a história de uns gémeos de 51 anos que sempre viveram com a mãe, e que após a sua morte têm que lidar com as ameaças do mundo moderno ao seu estilo de vida. 

Patricia Lockwood – No One Is Talking About This. Um estranho livro sobre o novo mundo das redes sociais e o impacto que viver sob o seu domínio pode ter. Parece interessante, dum modo alternativo. 

Yaa Gyasi – Transcendent Kingdom. A história de uma família de emigrantes ganeses nos Estados Unidos, as suas lutas, dificuldades e sucessos. Parece interessante, se bem que do mesmo estilo dum livro que terminei recentemente. 

Cheerie Jones – How The One-Armed Sister Sweeps Her House. De longe, o livro com o título mais curioso, que só por si me dá imensa vontade de pegar nele. Depois descubro que retrata a vida nos Barbados, uma ilha das Caraíbas, aparentemente um paraíso para todos os que lá não vivem. Para os locais a realidade é um bocadinho diferente. Parece ser bastante interessante e ficará no meu radar. 

Brit Bennet – The Vanishing Half. Quais as probabilidades de 2 dos 6 finalistas serem uma história sobre gémeos? Aparentemente muitas, porque aqui está a segunda. Desta vez gémeas afro-americanas no sul dos EUA, e a sua história díspar de encontros e desencontros. Não fiquei com muito interesse, confesso. Corrijam-me se estiver enganada. 

Temos aqui muito material e coisas boas para experimentar, o problema será sempre o mesmo. Demasiado poucos anos de vida para tanto livro interessante para ler.

Boas Leituras!

 

Acabei de Ler – Na Terra Somos Brevemente Magníficos

on earth we're briefly gorgeous

Keep scrolling if you prefer to read in English.

Mal acabei de ler The Curious Incident of the Dog in the Nightime, resolvi continuar a usar o mesmo método e procurar um livro no Kindle que me chamasse a atenção. E já há imenso tempo que andava a pensar pegar neste On Earth We Are Briefly Gorgeous. Este título é maravilhoso, sem explicar absolutamente nada sobre o que vamos ler. E assim lá fui eu em mais um blind date.

Publicado em 2019, este é o primeiro romance de Ocean Vuong, um poeta americano de origem vietnamita, detentor de inúmeros prémios de poesia, cujos livros terei de ir investigar. Tenho a sensação que será um romance semi biográfico, ou pelo menos largamente inspirado na sua vida, apesar de desejar que não. Porque a vida de Little Dog não foi fácil. Neto duma sobrevivente da guerra do Vietname e dum soldado americano, filho duma mulher abusada, muda-se para os Estados Unidos com a família na infância, que não é fácil.

Este livro é uma carta de um jovem à sua mãe, onde ficamos a conhecer a sua vida, a sua história, as dificuldades de lidar com uma mãe abusiva e uma avó doente, sendo imigrante vietnamita nos Estados Unidos. Um livro violento psicologicamente, com algumas cenas um bocadinho gráficas e difíceis de digerir, mas um hino à beleza. A beleza da vida, que é fugaz, a beleza da natureza, da passagem do tempo, da condição humana. Foi um livro que me tocou bastante, e que demorei a conseguir escrever esta opinião, porque ficou aqui na cabeça a maturar.

Aconselho a todos os que gostam de livros com histórias fortes, linguagem poética, e não se impressionam com facilidade.

Boas Leituras!

Goodreads Review

Once I finished reading The Curious Incident of the Dog in the Nightime I decided I would keep on choosing books by the appeal of their titles. And that’s how I decided to finally pick up this On Earth We Are briefly Gorgeous, after some time of meaning to read it. There I was again, starting a blind date with a book.

Published in 2019, this is Ocean Vuong’s first novel. He is an asian american poetry writer (born in Vietnam), and has won numerous awards with his poetry. I will have to check out his books. I have the feeling that this is a semi biographic novel, even tough I sincerely hope it is not. Little Dog (the main carachter) did not have an easy life. His grandmother is a Vietnam war survivor, his grandfather is an american soldier, and his mother suffered abuse and went on to abuse him as well. He has moved with his family from Saigon to the US in his early days.

This book is a love letter from a son to his mother, and in it we get to know his life, his story and the struggles of dealing with an abusive mother and a sick grandmother, while being a vietnamese immigrant in the USA at the same time. It is a violent book with some graphic descriptions that are hard to digest, but it is also a eulogy to beauty, the passage of time and the human condition. It was a touching book and it took me a while to review it, because I was still processing it. 

I recommend it to everyone who likes strong, poetic stories and are not easily impressed with raw images. 

Happy Reading!

Anos 40, os Meus

luiza-neto-jorge

De eléctrico andava a correr meio mundo

subia a colina ao castelo-fantasma

onde um pavão alto me aflorava muito

em sonhos, à noite. E sofria de asma

alma e ar reféns dentro do pulmão

(como o chimpanzé que à boca da jaula

respirava ainda pela estendida mão).

Salazar, três vezes, no eco da aula.

As verdiças tranças prontas a espigar

escondiam na auréola os mais duros ganchos.

E o meu coito quando jogava a apanhar

era nesse tronco do jardim dos anjos

que hoje inda esbraceja, numa árvore passiva.

Níqueis e organdis, espelhos e torpedos

acabou a guerra meu pai grita «Viva».

Deflagram no rio golfinhos brinquedos.

Já bate no cais das colunas uma

onda ultramarina onde singra um barco

pra Cacilhas e, no céu que ressuma

névoas, águas mil, um fictício arco-

-íris como que é, no seu cor-a-cor,

uma dor que ao pé doutra se indefine.

No cinema lis luz o projector

e o FIM através do tempo retine.

Luiza Neto Jorge. In: Revista Colóquio/Letras, n.º 97, Maio 1987