Livros Grátis em Faro

simoes-975x596

Infelizmente mais um alfarrabista não resiste ao descartável e aos tempos modernos. A par do Espaço Ulmeiro em Benfica, que também não deve resistir, a Livraria Simões em Faro, faliu em 2015 e tem ainda um grande espólio de livros no seu interior.

Mas para todos os que se possam deslocar lá, no próximo sábado 4 de Fevereiro todos os livros estarão disponíveis para ser trazidos gratuitamente. Vejam aqui o horário e os pormenores.

Sem Título

maria-sousa
O processo de contar histórias é sempre lento
começa-se pelo início
e há quem diga que chegar ao fim é simples
uma frase é a melhor medida
para juntar os fragmentos
e se a noite a subir pela voz
é um método de fazer silêncios
e o coração é um órgão que
espreita pelos buracos da gramática
no fundo é porque têm um corpo como fronteira
Maria Sousa in  Exercícios para endurecimento de lágrimas
Blog da autora com poesia variada aqui

O Inferno segundo Patricia Melo

inferno_patricia-melo

 Acabei recentemente de ler mais um livro brasileiro. A literatura brasileira é muito refrescante, e esta autora, que eu não conhecia, consegue fazer um retrato muito realista sem ser miserável duma realidade da qual ouvimos falar, vemos por vezes em filmes (A Cidade de Deus é o que mais vem à ideia), mas que mesmo assim parece muito distante.

Reizinho é um menino duma favela do Rio de Janeiro, e durante todo o livro vamos seguir a sua história e a de todos que com ele se cruzam. Patricia Melo trabalha também como guionista, e isso é patente em todo o livro, de tal modo são intensas as suas descrições. Como leio essencialmente nos meus percursos de autocarro, às vezes quando levantava os olhos do livro para ver onde estava, tinha dificuldade em situar-me, de tal modo estava imersa no Rio de Janeiro.

Mas a história foi também muito cativante. Em retrospectiva, nenhum dos personagens, nem mesmo o Reizinho, conseguem criar empatia, e com muitos (a irmã dele por exemplo) eu sentia-me genuinamente irritada. Todos vivem de subterfúgios, de esquemas, todos querem ser mais espertos, mais ricos, mais fortes, melhores que os outros. E isso é verdade na favela, em Copacabana, ou em qualquer outro lugar do mundo.

Muito rápido de ler, estou curiosa em relação a mais livros da escritora. Recomendo a todos os que queiram ver mais do Brasil do que a Globo mostra.

Goodreads Review

Amazing Thailand

thailand

Sawadee ka!

Os seguidores deste espaço sabem que em 2016 eu fui até Phuket cortesia da Autoridade de Turismo da Tailândia, porque fui a vencedora do seu passatempo Amazing Thailand.

Como eu acredito no conceito de Pay it Forward este ano resolvi partilhar o concurso com os meus leitores para dar a mais pessoas a possibilidade de desfrutar o mesmo que eu.

Concorram, é fácil, e o prémio vale definitivamente a pena. Este ano inclui ainda um saltinho a Bangkok.

Basta irem até aqui, registarem-se e participar no quizz. Boa sorte.

Tisanas

ana-hatherly

Era uma vez duas serpentes que não gostavam uma da outra. Um dia encontraram-se num caminho muito estreito e como não gostavam uma da outra devoraram-se mutuamente. Quando cada uma devorou a outra não ficou nada. Esta história tradicional demonstra que se deve amar o próximo ou então ter muito cuidado com o que se come.

Ana Hatherly – 351 Tisanas

Primeiro livro do ano

swimming-lessons

O ano não poderia ter começado melhor do que com este livro, e espero que seja prenúncio para as leituras que me esperam. Se assim for, será um ano em cheio. Este livro veio mais uma vez do Netgalley, a sua data de publicação será num futuro recente e é o segundo título desta autora que eu não conhecia, mas que creio ainda não foi traduzida para português.

Este livro é a história simples da família Coleman, desde os anos 70 até algures nos anos 2000, atravessando gerações. Na história desta família, soberbamente contada através de cartas escondidas em livros, estão pedaços da história de todos nós, e mostra-nos que por vezes o amor não chega para reparar algo que está quebrado à partida. Há amores não correspondidos, casamentos apressados, dificuldades em aceitar a maternidade, ainda mais dificuldades em aceitar a perda dum filho que nunca chegou a nascer. Filhos que são abandonados, pais/maridos/amigos que são desadequados. Mas ainda assim, no meio de todo este caos de vida que passa por nós, há relações que se constroem, personalidades que se criam, pessoas que crescem.

Achei um livro bonito e triste, como a vida. Por vezes difícil de digerir, porque demasiado perto de algumas realidades, mas acabou por se insinuar devagarinho dentro do meu coração e não consegui descansar enquanto não o acabei, ao ponto de ter acordado mais cedo para o poder terminar. A escrita é lindíssima, quase como uma pintura, de tal maneira que se consegue visualizar todos as paisagens, locais e pessoas descritos. Uma pérola.

Aconselho a todos os que aguentam emoções fortes e fins inacabados (era uma coisa que me angustiava quando era mais miúda, mas à qual me acabei por habituar). Vale a pena.

Goodreads Review

Para Ler – BD

bd-2017

Como Peixinho organizado que sou, começo o ano já com muitos livros de cada categoria para ler. Ou então podemos dizer que deixei acumular livros que não consegui ler o ano passado. É como preferirem.

Em BD, um dos géneros que me agrada muito mas que não leio tanto como gostaria, tenho na calha os 3 livros que se vêem na foto desfocada acima.

Eu, Assassino foi prémio num passatempo da Timeout já há algum tempo, mas ainda não lhe consegui pegar. É um livro muito premiado e uma edição esteticamente muito apelativa, cujo argumento também ganhou vários prémios, por isso estou expectante. O Peixinho Vermelho já o leu e recomenda.

Ardalén, dum dos meus autores de BD favoritos, o galego Miguelanxo Prado. E na sua língua original, será um desafio e um encanto lê-lo. Foi um presente de Secret Santa, por isso ainda está a marinar, que esta época foi pouco dada a leituras.

Os Vampiros, do Filipe Melo. Depois de ter lido toda a brilhante saga do Dog Mendonça e Pizzaboy sei que este livro não pode desiludir, apesar de ser radicalmente diferente. Prenda de Natal do Peixinho Vermelho, que o leu dum trago assim que mo ofereceu.

E claro, retomar a saga do Sandman do Neil Gaiman, assim chegue cá a casa o volume 7 pela mão da minha fornecedora habitual.

Nada mau para começo de ano. Boas Leituras!