Compras Inesperadas

joao aguiar

Ao preparar um dos últimos posts do Peixinho estive a pesquisar novamente sobre João Aguiar, um escritor que eu aprecio muito. E ao dar voltas e mais voltas à internet, acabei por ir parar a um anúncio da OLX duma rapariga que estava a vender 6 livros do escritor por tuta e meia.

Ora, o Peixinho adora uma boa pechincha e acredita em dar vida nova aos livros, por isso a questão não foi se comprar, mas sim quantos comprar. Depois de muita deliberação resolvi contentar-me com 3 dos que estavam disponíveis, que a minha casa não estica. Assim tenho os livros da foto acima prontinhos para serem lidos.

O que deve significar que tenho que arranjar 3 livros dos meus para serem despachados cá de casa. Em breve…

Boas Leituras!

Feira do Livro de Lisboa 2020

logos_fll20_novasdatas_v1-02

Rejubilemos todos aqueles que têm como peregrinação anual o Parque Eduardo VII. Depois de ter sido cancelada devido à pandemia, a Apel lança novas datas para a Feira do Livro de Lisboa, e espera as reinscrições dos participantes para poder repensar o espaço de acordo com as normas da DGS aplicadas a feiras e mercados ao ar livre.

O único senão é que esta data significa que as feiras de Lisboa e do Porto se realizarão simultaneamente, o que pode ser complicado de gerir para os pequenos editores e livreiros que poderão não ter recursos para estar presentes nas duas. E são precisamente estes editores que tornam a feira interessante e apelativa, porque gigantes como a Leya encontramos em qualquer supermercado. Mas estou optimista!

Por outro lado, antes do covid-19 estava ansiosa por levar o rebento à sua primeira Feira do Livro, tradição anual que os meus pais iniciaram comigo, normalmente no dia da criança quando haviam sempre ofertas especiais. Agora com esta nova realidade, aliado ao facto do rebento não ser propriamente dócil e paciente, terei de pensar se quero iniciar a tradição já este ano. Mas até lá ainda tenho tempo de pensar, e analisar todos os fatores.

Quem puder/quiser aproveite. É um evento ao ar livre, portanto se as normas forem cumpridas a possibilidade de contágio não é grande. Até lá, Boas Leituras!

 

As Listas de Livros

livros

Há alturas em que estou em modo furioso de leitura e que a meio de um livro já sei qual vai ser o próximo, e quase que desejo acaba rapidamente um para passar ao outro. Assim se passam muitos meses do ano, numa sucessão vertiginosa de títulos, por vezes sem relação, mas muitas vezes como as cerejas, em que um puxa outro.

Depois há sempre uma altura em que me canso, em que os livros que tinha pensado ler afinal não parecem tão apelativos, em que me apetece uma mudança, ou simplesmente abrandar. Agora, por exemplo, tenho dois livros começados mas sem grande vontade de os continuar, não porque não estou a gostar, mas porque preciso de abrandar o ritmo.

É nestes “tempos mortos” que vou pesquisando aqui e ali novas coisas para ler. Leio outros blogues de livros, sigo editoras, mas uma das minhas grandes inspirações vem do Goodreads. Lá estão sempre livros a ser-me recomendados de acordo com o meu histórico de leitura, e com os livros nas minhas “prateleiras”. Mas quando queremos coisas diferentes, o Goodreads tem uma coisa chamada Listopia, que é basicamente uma lista de listas. Nelas temos imensa coisa, como os livros mais votados de 2020, os melhores livros em português, etc, etc.

As minhas favoritas são sem dúvida a lista dos livros de viagem e a dos livros de natureza. Obviamente que não estou interessada em ler todos os livros da lista, até porque são votados pelos utilizadores e nem sempre são muito científicos, por exemplo, mas encontro sempre ideias novas e coisas que tenho vontade de investigar. Vão até lá espreitar e inspirem-se.

Listopia

Favourite Travel Books

Best Nature Books

Boas Leituras!

RELI – Rede de Livrarias Independentes

reli

Os tempos estão complicados, como todos sabemos, mas para as pequenas livrarias isso já era corrente há bastante tempo. Gigantes como a Amazon, ou a nível mais local, a Fnac e a Wook, vão tomando conta do mercado já de si bastante pequeno, abafando a presença das pequenas livrarias. No entanto, estes agentes de maiores dimensões tendem a apostar todos nos mesmos “cavalos”, passe a expressão, e autores mais alternativos não conseguem ter expressão. Por isso o papel destas pequenas livrarias, muitas vezes especializadas, é vital para manter a diversidade e o bom gosto.

Por esta altura, e para combater a crise do setor, agravada pelo isolamento social, resolveram juntar-se e formar a RELI, Rede de Livrarias Independentes. Para além duma comunicação conjunta e duma estratégia coordenada para se apoiarem mutuamente, surgiram também algumas iniciativas para nos ajudar a todos em tempo de Covid-19.

Duas que já estão no site são a Fique em casa, mas não fique sem livros, onde oferecem os portes de envio para podermos encomendar os nossos livros favoritos online, ou a minha favorita Livraria às cegas, em que mediante o pagamento de 15 a um dos livreiros, recebemos em casa um livro escolhido por eles, muito à semelhança do Blind Date With a Book, onde podemos escolher um livro sem ver a capa, mas com uma pequena descrição do conteúdo.

Estou tentada a escolher uma livraria de poesia e pedir qualquer coisinha para mim. Digam-me se sentirem também vontade.

Até lá, Boas Leituras!

International Booker Prize 2020

booker international

Já foram anunciados os finalistas do International Booker Prize (antigo International Man Booker), atribuídos por um júri ao que consideraram os melhores e mais relevantes livros do ano traduzidos para a língua inglesa. Este ano a lista é a que está abaixo, e tem alguns títulos que acho mesmo interessantes. Deixo-vos as minhas impressões em cada um deles.

The Enlightenment of the Greengage Tree de Shokoofeh Azar, autora iraniana que tem aqui a sua primeira obra traduzida para inglês. Passa-se no Irão na década após a revolução islâmica de 1979, e parece-me uma história muito tocante e interessante. Sem dúvida que tenho interesse em ler.

The Adventures of China Iron de Gabriela Cabezón Cámara, passado nas pampas argentinas em 1972, China é uma jovem mulher que vai embarcar numa jornada pelo interior argentino com uma escocesa, e que vão admirando as belezas da natureza do país. Esta autora já tem os seus talentos firmados na literatura sul-americana, no entanto ainda não li nada dela, também porque ultimamente tenho andado mais virada para livros asiáticos. Mais uma vez, parece-me uma boa aposta.

Tyll de Daniel Kehlmann, livro dum autor alemão que também já não é novo nestas andanças e que aqui revisita um clássico do folclore alemão com humor sarcástico. Uma espécie de conto de fadas negro. Parece-me também interessante, mas menos que os anteriores.

Hurricane Season de Fernanda Melchor, esta jovem autora mexicana vê aqui o seu primeiro romance traduzido para inglês. À semelhança de Crónica Duma Morte Anunciada, de Gabriel García Marquéz, também aqui se começa com uma mulher assassinada e se vai andando para trás no tempo até se descobrir o que realmente aconteceu.

The Memory Police de Yoko Ogawa, é um livro que parece muito promissor. Já li um livro desta autora que achei lindíssimo, e que falarei aqui em breve, por isso estou muito entusiasmada por ler também este.

The Discomfort of Evening de Marieke Lucas Rijneveld. Marieke é uma poetisa holandesa que já ganhou vários prémios no seu país e que se aventura agora nos romances. Este seu primeiro título é passado na Holanda rural, e segue a história duma família que se desintegra aos poucos. Para mim parece-me demasiado pesado para conseguir ler nesta altura, embora me pareça bonito e com um cuidado especial com o uso das palavras.

Já temos aqui uma bela selecção de livros recentes para ocupar esta quarentena, que me parece que ainda está para durar. Até lá, Boas Leituras!

Algumas Considerações Verdadeiras em Dia das Mentiras

Peixinho 01

Faz hoje exactamente um ano que os meus hábitos de leitura mudaram radicalmente, por causa da coisa pequenina da foto acima. Nos primeiros meses não havia tempo para ler, todo era pouco para dormir. Depois, com o passar do tempo fui arranjando estratégias, momentos para mim, e quando regressei ao trabalho também regressou a minha rotina de ler no autocarro.

Agora, um ano depois, curiosamente parece que voltei ao início. Esta pandemia que nos afecta a todos, trouxe novos desafios à nossa vida. Conjugar o meu teletrabalho, com o do pai, com uma coisa que corre a casa toda de gatas o dia todo enquanto se tenta enfiar em todos os sítios perigosos, com telejornais assustadores, não deixa nem tempo nem cérebro para grandes aventuras literárias.

Admiro aqueles posts no facebook com pessoas que acham isto tudo uma oportunidade de crescimento pessoal, que têm tempo para organizar gavetas e fazer plasticina caseira para os miúdos. Eu considero uma vitória pessoal tomar duche todos os dias, e ter feito um bolo de aniversário para o dia de hoje. Mentira, ainda não fiz, mas tenho a intenção de fazer!

Mas após ter lido 19 livros no primeiro trimestre do ano, neste momento estou numa fase de abrandamento. Menos tempo, menos disposição, uma burrice que fiz que me desconfigurou a ordenação dos livros no Kindle, tudo isto está a tornar muito difícil escolher um livro que me entusiasme para ler a seguir. Até o fiel Poirot, que nunca desilude, quando peguei no volume seguinte era um que conheço tão bem a história que sei quem é o assassino só por ler a introdução. Podem pensar que poderia saltar para o volume seguinte… mas isso não funciona na minha cabeça (ligeiramente) obssessiva-compulsiva.

Hoje desejo apenas que este caos passe depressa, mesmo não acreditando nisso. Desejo que mantenhamos todos a nossa sanidade mental, e que saiamos do outro lado com poucas perdas pessoais e com força para enfrentar a etapa seguinte. E desejo que de hoje a um ano, quando o jaquinzinho fizer o segundo aniversário, possamos finalmente fazer-lhe uma festinha.

Boas Leituras e Muita Paciência!

Séries de Livros

serie

Para todos aqueles que se encontram neste momento em casa, com a sua vida social reduzida ao online, pode ser uma oportunidade para se ler aquelas séries de livros que andamos há que tempos a deixar para trás. Sejam os Poirots por ordem de publicação, sejam os Harry Potter, seja outro qualquer que o vosso coração indique.

Por vezes surje a questão de não sabermos ao certo qual a ordem dos livros, principalmente em tarefas de larga monta como a dos Poirots. Como isso não deve ser incomum, houve alguém que se lembrou de aglutinar a informação numa única página chamada, muito a propósito, Book Series in Order. É por aí que tenho seguido os Poirot’s, mas também os livros do Inspector Maigret.

Pode ser um recurso útil, para os obcecados como eu, ou os que precisam pontualmente de informção. Podem encontrar o site aqui.

Boas Leituras, pela ordem que quiserem!

O Peixinho e as Maratonas Literárias

Livros

O Peixinho gosta de ler o que lhe apetece, quando lhe apetece, e nem sempre sabe exactamente o que lhe apetece. Confuso, eu sei, mas obrigações temos muitas na vida, ler não pode contar como uma delas. Por isso nunca me juntei a nenhum clube de leitura, daqueles que se encontram e debatem livros previamente escolhidos. Sei que provavelmente estou a perder umas belíssimas discussões edificantes, mas na realidade elas acabam por surgir naturalmente quando discutimos livros com outro bookworm como nós.

Mas as maratonas literárias sempre me pareceram mais engraçadas. Aqui temos várias categorias e acabamos por encaixar o livro que estamos a ler na que for mais relevante.  Por exemplo, ler um livro com um tema de inverno.

Nunca me tinha juntado a nenhuma porque me tinha faltado o incentivo certo. Mas agora fui convidada por uma amiga a juntar-me a uma maratona literária espalhada pelas estações do ano, e em que cada estação temos novas categorias para preencher. Começámos, obviamente, no Inverno. Achei a ideia engraçada e os livros que tinha lido desde o início do Inverno eram facilmente distribuídos por algumas categorias.

Neste momento já tenho 4 das 16 categorias preenchidas e, apesar de dificilmente conseguir completar todo o desafio, estou a achar isto muito divertido.

Se têm experiências semelhantes, ou sugestões, apitem no comentários.

Boas Leituras, com ou sem maratonas.

Livros para 2020

book-stack

Começo 2020 com uma panóplia de livros para ler, à semelhança dos anos anteriores. Vão desde séries que comecei e quero continuar, a livros ou autores que descobri graças a coisas que li, ou livros físicos que me foram oferecidos. É um bom problema para se ter, apesar de raramente eu seguir esta lista à risca. Gosto sempre de ler para onde o vento ou a minha vontade me levam.

Para este ano os livros que estão na calha são os seguintes:

  • A Trança de Inês, de Rosa Lobato Faria: Nunca li nada desta escritora, e este ano o Peixinho Vermelho comprou este livro em segunda mão na net. Nenhum de nós o leu ainda, essencialmente por falta de disponibilidade mental. Está na calha para o início do ano.
  • Love Story à Portuguesa, de Vilhena: oferecido por uma amiga no final do ano, é mesmo o tipo de leitura divertida e socialmente interessante para começar 2020.
  • A Crown od Swords (Wheel of Time 7) de Robert Jordan: Apesar do meu entusiasmo ter esmorecido um bocadinho, não gosto de deixar séries a meio. Algures em 2020 irei pegar novamente nas aventuras de Rand al’Thor e seus companheiros.
  • Vernon Subutex 2, de Virginie Despentes: Será este ano que vou continuar a ler as desventuras de Vernon Subutex, o mais recente sem abrigo de Paris.
  • The Secret Commonwealth (Book of Dust 2), de Philip Pullman: Já que li o primeiro volume desta nova série em 2019 e no final saiu este fresquinho, já o tenho no meu Kindle pronto a seguir.
  • Aquilino Ribeiro: Aqui há uns anos comprei vários livros deste autor num alfarrabista de rua. Acho que está na altura de lhes pegar e rentabilizar o investimento.

E para começar o ano são estes os livros que tenho na calha. Espero que esta lista tenha melhor fim que a do ano anterior.

Boas Leituras e Bom 2020

Projectos para 2020

new years resolution

À semelhança do ano passado, este ano também não vou fazer grandes planos. Depois da surpresa que a natureza me fez de me dar um jaquinzinho aos 44 anos acho que fazer planos é capaz de ser redundante. Por isso em 2020 planeio aproveitar o que a vida me trouxer e o cachopo me deixar.

Acho que viagens ainda estarão fora de questão e espero conseguir ir para fora cá dentro sem grandes complicações. Seria bom se conseguisse juntar a isso umas idas ao teatro, cinema ou algum concerto. Se alguém se sentir com vontade de fazer babysitting é só avisar.

Em termos de leituras vou manter as minhas expectativas realistas. Se conseguir ler novamente 30 livros já me vou sentir contente, e tenho muitas horas de transportes públicos pela frente para me permitir fazer isso.

Vamos ver o que 2020 nos traz. É um número bonito, redondo e trará com certeza muitas surpresas. Coração aberto e paciência ao máximo para tudo o que aí vem.

Bom Ano e Boas Leituras!