Sunsets no CCB

Sunset CCB

Começou este fim-de-semana no CCB uma das propostas de animação de Verão que nós mais gostamos cá em casa. Os concertos de fim de tarde no Jardim das Oliveiras, sentados na relva, a ver o pôr-do-sol, enquanto ouvimos um jazz ou uma música do mundo a embalar-nos para o começo da noite.

O ano passado acabámos por ir duas vezes, e adorámos as duas. Um ambiente tranquilo e intimista, proximidade com os artistas, nada de enchentes, passam-se uns momentos relaxados que nos descontraem da loucura da semana.

Podem ver a programação aqui, há muita coisa boa por onde escolher.

Dias da Música 2017

Dias da Musica 2017

No próximo dia 29 começa mais uma edição dos Dias da Música em Belém no CCB, evento a que eu gosto muito de assistir, este ano sob o tema “As Letras da Música”, tema bastante literário é que tem muito a ver com o Peixinho.

Olhando para o programa consigo ver já imensos concertos aos quais gostava de assistir, até porque o ambiente no CCB durante estes dias é muito descontraído e contagiante, mas ainda não sei se vou conseguir ir este ano, que tem sido um bocadinho conturbado.

No entanto deixo-vos algumas ideias de coisas que se eu pudesse não perderia com certeza:

Sexta, 28 de Abril às 21:00 – JP Simões: Buarque, Bloom e Outras Canções (A2)

Sábado, 29 de Abril às 14:00 – Orquestra Sinfónica Ensemble: Sedução e Amores Proibidos (B2)

Domingo, 30 de Abril às 13:00 – DSCH – Schostakovich Ensemble: O Carnaval dos Animais (C10)

Espero que gostem.

Dias da Música

P60423-135346

Como tinha dito neste post este fim de semana está a decorrer no CCB os Dias da Música. Este ano o tema é Volta ao Mundo em 80 concertos, e nós iamos muito entusiasmados com a perspectiva de ouvir sons diferentes. Não ficámos desiludidos porque no primeiro concerto tivemos a experiência de ouvir a Orquestra Yogistrangong a tocar gamelão de Java. Se não sabem o que é, como eu não sabia, são uma série de instrumentos de percursão maioritariamente gongos em bronze.

O segundo concerto que escolhemos chamava-se “Uma Tarde Num Jardim Persa”, e era mais baseado em música iraniana, com 3 intérpretes que também declamaram alguns poemas.

Amanhã é o último dia, e eu aconselho a experiência. Não só os concertos são interessantes, como o ambiente que se vive no CCB nesta altura é muito eclético e variado. A experimentar.

Desvios à Leitura – Música

Dias da musica

 

De cada vez que viajamos por cidades europeias aproveitamos sempre para visitar os seus museus. Normalmente de arte mais contemporânea, que é aquela que nos apela mais. Mas depois de alguns anos a viajar, e algumas cidades visitadas parece que o cérebro começa a pedir conhecimento diferente. Em Março do ano passado, depois de quase todo o dia no Museu d’Orsay, acho que ficámos um bocado vacinados e à procura de experiências mais exóticas.

O mesmo se passa em relação à música clássica. Depois de no dia 13 de Março termos ouvido um excelente concerto de Mozart no CCB pensámos que estava na altura de emoções diferentes.

E eis que os Dias da Música no CCb estão quase a chegar e este ano brindam-nos com músicas do mundo. É que parece que foi feito à medida, ou que os senhores da programação ouviram os nossos pedidos. O díficil vai ser escolher entre tudo o que está a disposição.

Recomendo vivamente a todos os que gostam de música. Não só os concertos a que já fui eram bons, como o ambiente que se vive pelo CCB nesses dias é muito especial e descontraído.

Dia Mundial da Poesia

Assim que aprendi a escrever que comecei a brincar com as palavras e a fazer pequenos versos. Creio que a maioria deles perdidos para sempre em cadernos que ficaram na casa dos meus pais. Quando entrei na adolescência a minha madrinha ofereceu-me O Livro em Branco para eu poder registar os fervores da vida que me assolavam. Esse ainda o tenho lá por casa, guardado numa estante.

Quando comecei a crescer e a realmente apreciar poesia, percebi que faria melhor em ler quem percebe do assunto e deixar-me de fantasias. E mergulhei de cabeça, primeiro nos clássicos de Florbela Espanca, e depois por ali fora, devagarinho, saboreando, partilhando com que desfruta do mesmo prazer.

Isto tudo para dizer que na próxima segunda feira dia 21 é o Dia Mundial da Poesia. E que o CCB vai fazer amanhã uma série de actividades ligadas a esse tema, incluindo uma feira do livro de poesia. Programação aqui.

E para celebrar a poesia, nada melhor que Ricardo Reis, um dos heterónimos de Fernando Pessoa:

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive

Ricardo Reis, in “Odes”