Dias da Música 2017

Dias da Musica 2017

No próximo dia 29 começa mais uma edição dos Dias da Música em Belém no CCB, evento a que eu gosto muito de assistir, este ano sob o tema “As Letras da Música”, tema bastante literário é que tem muito a ver com o Peixinho.

Olhando para o programa consigo ver já imensos concertos aos quais gostava de assistir, até porque o ambiente no CCB durante estes dias é muito descontraído e contagiante, mas ainda não sei se vou conseguir ir este ano, que tem sido um bocadinho conturbado.

No entanto deixo-vos algumas ideias de coisas que se eu pudesse não perderia com certeza:

Sexta, 28 de Abril às 21:00 – JP Simões: Buarque, Bloom e Outras Canções (A2)

Sábado, 29 de Abril às 14:00 – Orquestra Sinfónica Ensemble: Sedução e Amores Proibidos (B2)

Domingo, 30 de Abril às 13:00 – DSCH – Schostakovich Ensemble: O Carnaval dos Animais (C10)

Espero que gostem.

Dias da Música

P60423-135346

Como tinha dito neste post este fim de semana está a decorrer no CCB os Dias da Música. Este ano o tema é Volta ao Mundo em 80 concertos, e nós iamos muito entusiasmados com a perspectiva de ouvir sons diferentes. Não ficámos desiludidos porque no primeiro concerto tivemos a experiência de ouvir a Orquestra Yogistrangong a tocar gamelão de Java. Se não sabem o que é, como eu não sabia, são uma série de instrumentos de percursão maioritariamente gongos em bronze.

O segundo concerto que escolhemos chamava-se “Uma Tarde Num Jardim Persa”, e era mais baseado em música iraniana, com 3 intérpretes que também declamaram alguns poemas.

Amanhã é o último dia, e eu aconselho a experiência. Não só os concertos são interessantes, como o ambiente que se vive no CCB nesta altura é muito eclético e variado. A experimentar.

Desvios à Leitura – Música

Dias da musica

 

De cada vez que viajamos por cidades europeias aproveitamos sempre para visitar os seus museus. Normalmente de arte mais contemporânea, que é aquela que nos apela mais. Mas depois de alguns anos a viajar, e algumas cidades visitadas parece que o cérebro começa a pedir conhecimento diferente. Em Março do ano passado, depois de quase todo o dia no Museu d’Orsay, acho que ficámos um bocado vacinados e à procura de experiências mais exóticas.

O mesmo se passa em relação à música clássica. Depois de no dia 13 de Março termos ouvido um excelente concerto de Mozart no CCB pensámos que estava na altura de emoções diferentes.

E eis que os Dias da Música no CCb estão quase a chegar e este ano brindam-nos com músicas do mundo. É que parece que foi feito à medida, ou que os senhores da programação ouviram os nossos pedidos. O díficil vai ser escolher entre tudo o que está a disposição.

Recomendo vivamente a todos os que gostam de música. Não só os concertos a que já fui eram bons, como o ambiente que se vive pelo CCB nesses dias é muito especial e descontraído.

Dia Mundial da Poesia

Assim que aprendi a escrever que comecei a brincar com as palavras e a fazer pequenos versos. Creio que a maioria deles perdidos para sempre em cadernos que ficaram na casa dos meus pais. Quando entrei na adolescência a minha madrinha ofereceu-me O Livro em Branco para eu poder registar os fervores da vida que me assolavam. Esse ainda o tenho lá por casa, guardado numa estante.

Quando comecei a crescer e a realmente apreciar poesia, percebi que faria melhor em ler quem percebe do assunto e deixar-me de fantasias. E mergulhei de cabeça, primeiro nos clássicos de Florbela Espanca, e depois por ali fora, devagarinho, saboreando, partilhando com que desfruta do mesmo prazer.

Isto tudo para dizer que na próxima segunda feira dia 21 é o Dia Mundial da Poesia. E que o CCB vai fazer amanhã uma série de actividades ligadas a esse tema, incluindo uma feira do livro de poesia. Programação aqui.

E para celebrar a poesia, nada melhor que Ricardo Reis, um dos heterónimos de Fernando Pessoa:

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive

Ricardo Reis, in “Odes”