Running With Rhinos – Ed Warner

Rhinos

Thank you to NetGalley.com and Greenleaf Book Group for the ARC of this novel in exchange for my honest review.

Se há coisa que eu gosto é de ler livros sobre sitios exóticos. Livros de viagens são actualmente os meus favoritos. Se juntarmos a um livro sobre viagens um outro tema interessante, temos o jackpot. Foi o que pensei quando comecei a ler este livro que é sobre as aventuras dum voluntário em projectos conservação de rinocerontes em África.

 Impossivel falhar, pensei eu. Estava errada, descobri penosamente não muitas páginas depois. Ed Warner é um ex geólogo, actual voluntário do programa de conservação de rinocerontes em África, Rhino Ops. É um homem com boas ideias e muitas histórias para contar. No entanto, escolhe fazê-lo da pior maneira possivel. Todas as histórias o têm como personagem central, os pormenores são absurdos e incluem quanto ele pagou por jantares que ofereceu a amigos, e em que denominação eram as notas que lhes deu para fazerem o pagamento. A meio do livro já quase deitava lágrimas de profundo aborrecimento.

 E porque continuei? Porque tenho um pequenino traço obssessivo compulsivo que me obriga quase sempre a levar os livros até ao fim, principalmente quando esperam de mim uma critica. E porque sou no essencial uma optimista que acha sempre que tudo vai melhorar. Não foi o caso. Manteve-se aborrecido, minucioso e presunçoso até ao final.

Recomendado apenas a fanáticos de paisagens africanas que aguentem largas doses de tédio.

Goodreads Review

Anúncios

Desvios à Leitura – Teatro

Graças a um protocolo com a minha Junta de Freguesia tive a oportunidade de ir ontem até ao Teatro Aberto com um preço bem simpático. A peça que está em cena é “Boas Pessoas” de David Lindsay-Abaire, um autor norte-americano vencedor dum Pulitzer.

Este é um texto recente, de 2011, mas é intemporal na realidade. O Teatro Aberto nunca desilude, e é sempre bastante bom a nível dos pormenores. Os cenários são fantásticos, a música, os figurinos. Tudo está afinado como uma máquina bem oleada.

Nesta peça era também notório o excelente trabalho de adaptação do texto à realidade portuguesa. Também aí se notou o cuidado com os pormenores.

Depois foram largos minutos de deleite. Os actores eram bons, o texto multidimensional, rico, de fazer pensar sem ser pesado e agressivo. Nem demos pelo tempo passar, e ficámos surpreendidos quando acabou, o que é sempre uma prova de que passámos um bom bocado.

Recomendado a todos os que gostam duma boa história, e grandes fãs de coelhos.

The High Mountains of Portugal – Yann Martel

25472815

Thank you to NetGalley.com and to Random House for the ARC of this novel in exchange for my honest review.

Li a “Vida de Pi” em 2012 e gostei imenso. A sua estranheza e profundidade da história cativaram-me e foi daqueles livros que ficam gravados na memória. Lembro-me da referência que o autor fazia na introdução ao facto de estar a trabalhar num livro passado em Portugal em 1939, e posso apenas assumir que se estivesse a referir a este.

A oportunidade de ler este livro, ainda antes de ser editado e traduzido em Português foi uma daquelas coisas que nos enchem de excitação e temor ao mesmo tempo. Porque há sempre espaço para a desilusão nestes segundos encontros.

Mas não foi o caso. Este livro tem o bónus adicional de se passar quase exclusivamente em Portugal, e nota-se que o autor fez um esforço de investigação porque as descrições são muito ricas e coerentes, os nomes das povoações são reais, e mesmo as descrições das pessoas são familiares. Conseguimos imaginar passo a passo os aldeões transmontanos tal como o autor no-los transmite, e isso foi muito refrescante.

Por outro lado este livro fala de temas maiores, amor, dor e perda sem nunca ser lamechas ou vulgar. Está repleto dum realismo mágico que nos transporta a outros mundos dentro deste. Tal como a Vida de Pi, também aqui sabemos que algumas coisas não podem ser reais, mas ao mesmo tempo conseguimos vê-las como se fossem.

Depois este livro toca a minha vida numa tangente curiosa. Na primeira história fala-se muito de São Tomé, destino que eu persigo desde sempre, e ao qual espero ir um dia. Na segunda os personagens vivem um caso de amor com os livros de Agatha Christie, mesmo na altura em que eu propria comecei a relê-los por ordem de publicação, por um sentido de prazer e de dever. A ultima história tem as descrições mais bonitas de Trás-os-Montes, sitio que adoro. Incrivel como parece tão familiar e unico apesar de descrito por alguém que não é de lá.

Recomendo a todos aqueles que gostam de uma história bem contada, que gosta de ver a realidade dum prisma diferente e a quem aguenta um pouco de realismo mágico.

Goodreads Review