Livros Que Quero Ler – Harvest For Hope

harvest for hope

Jane Goodall é uma cientista sobejamente conhecida e que tem estudado chimpanzés a sua vida toda. Paralelamente tem sido uma porta-voz duma vida mais sustentável, nomeadamente com acções de sensibilização junto das camadas mais jovens.

Uma das coisas que Jane Goodall defende é que devemos ter uma alimentação que cause menos impacto ao nosso planeta. Ela tem visto em primeira mão o impacto de destruição de habitat nos chimpanzés que segue, e que afecta populações humanas e animais.

Por isso Jane Goodall é vegetariana e escreveu Harvest for Hope: A Guide to Mindful Eating para nos fazer pensar nas nossas escolhas diárias, e como podemos com pequenas acções fazer a diferença no mundo que nos rodeia. Não pretende ser um tratado exaustivo de como solucionar o problema da alimentação humana numa população que já aumentou para níveis superiores àqueles que o nosso planeta consegue realisticamente suportar, mas sim pequenas ideias que todos nós podemos fazer no nosso dia-a-dia para diminuir o nosso impacto pessoal.

Está na minha lista de livros para ler já há algum tempo, mas os vários livros de viagem que tenho neste momento têm-se sobreposto aos de ciência, mas espero que essa situação se inverta em breve.

Recomendo a todos os que gostam de pensar sobre estes assuntos de sustentabilidade e alimentação, e se lerem antes de mim digam-me se vale tanto a pena como eu espero.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – The Woodcutters

woodcuttersJá não me lembro exactamente onde vi falar deste autor recentemente, se no Goodreads se em algum dos blogs de literatura que sigo, mas mais uma vez o que me espantou foi nunca ter ouvido falar dele e ser considerado um dos melhores (e mais polémicos) autores germanófilos da segunda metade do século XX. Senti-me novamente como quando me deparei com Rubem Fonseca e pensei que tinha que colmatar essa falha.

Depois de alguma investigação vi que este é dos melhores títulos para começar a ler este autor. Contém muitas das suas características (sarcasmo, cinismo, repetições de cenas e situações) mas é mais fácil de ler que algumas das suas obras mais intrincadas. A sinopse pareceu-me deliciosa e algo que me dará prazer ler.

Neste momento tenho-me dedicado mais a ler obras de não-ficção, essencialmente (mas não só) leituras sobre viagens, talvez para contrariar o confinamento, por isso ainda não tive disponibilidade mental para pegar neste livro, mas é um dos próximos na minha lista.

Até lá, Boas Leituras!

Livros Que Quero Ler – Ilium

Ilium

Há autores que têm um dom especial, e com os quais acabamos por ter uma relação mais próxima que outros, tendo vontade de ler tudo o que escreveram. Comigo esses casos de amor literário vão mudando ao longo do tempo. Se nos meus 20 anos eu lia tudo o que saía de David Lodge, hoje já me sinto mais afastada desse escritor, e novos se impuseram nos meus horizontes, como David Mitchell ou mais recentemente Dan Simmons, autor do fantástico Hyperion Cantos.

Basta olhar para a capa para perceber o toque de Dan Simmons. Tal como como em quase todos os livros da saga Hyperion, também aqui vemos uma criatura (um homem?) de costas com o olhar perdido numa imensa paisagem. Para mim só isso já me dá vontade de agarrar no livro e começar a ler. Depois é clássico Simmons. Passado em Marte, um planeta que foi “terraformado”, ou seja totalmente alterado para conter vida humana, e com ligações aos clássicos, neste caso a mitologia grega.

Apesar de parecer ficção científica pura, estará assim tão longe da realidade quando se estuda a possibilidade de alterar planetas para serem capazes de albergar vida humana? Como se não fosse suficiente termos estragado um, temos de ver se arranjamos mais uns quantos para destruir, ignorando completamente a integridade do que lá existe, seja vida ou não? Há sempre algo para pensar nos livros de ficção científica dignos desse nome, e essa é mais uma das razões que me fazem estar entusiasmada por ler este livro.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Ballistic Kiss, Sandman Slim #11

sandman slim 11

Quem segue este estaminé sabe que eu gosto de livros de fantasia, e que fiquei rendida a este heroi de fantasia urbana, o Sandman Slim. Ele é basicamente um tipo porreiro a quem a vida pregou umas partidas. Um daqueles duros de coração mole, que não conseguem deixar de nos cativar. Tem muitos trunfos na manga, nomeadamente a capacidade de se deslocar rapidamente entre sitios distantes, e o ser parte homem parte anjo. Ah, e não esquecer que durante um tempo chegou a ser o “director” do Inferno.

É uma série despretensiosa, bem disposta e com muita, muita acção. Ideal para passar umas horas literalmente noutro mundo, ou numa Los Angeles alternativa. Sem ser uma obra prima literária, entretém e cumpre o seu propósito.

Em Agosto sai o 11º volume, e eu estarei na fila da frente para o ler. Até lá, Boas Leituras!

Livros Que Quero Ler – Guards! Guards!

guards guards

Em 2013, por recomendação de alguns amigos no trabalho, comecei a ler os livros de Terry Pratchett, nomeadamente o seu universo de fantasia Discworld. Discworld, porque o mundo aqui é um enorme disco, com cataratas nas margens, que repousa nas costas de 4 enormes elefantes, que por sua vez estão às costas duma tartaruga gigante que nada pelo espaço. É um mundo repleto de magia e fortemente influenciado por ela.

É também um mundo repleto de livros, cerca de 41, com vários subtemas de histórias centrados em diferentes personagens (como a Morte, por exemplo, um dos meus favoritos). Em teoria, não precisa de ser lido por ordem de publicação, pode começar-se pelo início de qualquer um dos subtemas, e seguir por aí. Digo em teoria, porque sendo eu a ligeiramente obsessiva que vocês já conhecem, obviamente que para mim não há outra maneira de ler senão por ordem de publicação.

A grande mais valia destes livros é serem extraordinariamente bem escritos, com um fino e subtil humor britânico, cheios de personagens e situações que nos fazem lembrar a vid real e soam a caricaturas. As personagens e os diálogos são de excepção e eu dei por mim muitas vezes a rir abertamente. Li os primeiros, e até já aqui recomendei o início da série, mas o sétimo livro foi mais fraquinho, e entretanto enveredei por novos caminhos e nunca mais retomei a série.

Mas entretanto Terry Pratchett, apesar de já não estar entre nós, voltou a ser muito falado em 2019, graças à série Good Omens, baseada num livro que foi escrito a 4 mãos, entre ele e Neil Gaiman. Good Omens é outro livro que ainda não li, mas o sururu à volta desta série fez-me ter vontade de retomar o mundo de Discworld, e avançar para Guards! Guards!. Este é não só o oitavo livro deste universo, mas é também o começo do subtema Nightwatch, que me dizem ser um dos melhores, por isso espero grandes coisas.

Sei que estes livros foram traduzidos para português e ainda se encontram alguns à venda, mas não sei se todos e se ainda estão disponíveis, por isso a minha leitura tem sido toda feita na lingua original.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Vernon Subutex 2

vernon 2

Falei aqui há uns tempos no Peixinho dum livro que me foi proporcionado pelo Netgalley, Vernon Subutex 1, um livro fabuloso duma escritora francesa que me tinha sido desconhecida até então. Vernon é dono de uma loja de discos que não se consegue manter à tona de água e vai deslizando pela vida até se tornar um sem abrigo, desaparecendo lentamente da vista e do pensamento de todos os que o rodeiam, até se tornar invisível.

No entanto Vernon é possuidor dum tesouro, sem saber. As cassetes com as últimas gravações de Alexandre Bleach, uma estrela e guru. Todos procuram Vernon e Vernon desaparece (involuntariamente) da vista de todos. Foi um livro interessantíssimo que diz muito sobre nós enquanto sociedade e que nos mostra que andamos todos num equilibrio muito precário, apesar de acharmos que não.

Mas este era apenas o primeiro volume duma trilogia, e os dois volumes seguintes já foram publicados, mas em francês. Escusado será dizer que não é uma lingua que domine. Curiosamente, este livro já está à venda em formato físico em português, mas considerando que comecei a leitura em inglês parece-me esquisito agora mudar. Já tentei comprar a versão em inglês, mas apenas estava disponível para a kindle app e não para o kindle em si. Finalmente, consegui recentemente pedi-lo no Netgalley, mas o pedido está pendente há semanas, por isso não há grande esperança também por aí.

Enfim, 1st world problems, mas que têm dificultado o meu seguimento da série, que espero que esteja para breve.

Até lá, Boas Leituras!

 

Livros que Quero Ler – Cai o Pano, Poirot #42

poirot 43

Não é segredo para quem segue o Peixinho que eu ando a ler todos os livros do Poirot por ordem de publicação. Tem sido uma tarefa lenta, que se faz ao ritmo do meu apetite literário, mas tem sido muito interessante. Especialmente porque ler na língua original nos mostra apontamentos culturais e de época que muitas vezes são engolidos na tradução.

Assim sendo não é difícil de imaginar que eu quero ler este livro. E de todos os títulos do Poirot, porquê este em particular? Porque marca o final do nosso inestigador belga, no sentido literal. Este seu último mistério, que curiosamente se passa no mesmo cenário do primeiro, culmina com a morte de Poirot, que teve direito a um obituário no New York Times, em 1975 aquando da sua publicação.

Chegar a este livro será também para mim o culminar de uma maratona literária, cheia de boas surpresas e bons momentos.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Slade House

slade house

Quem segue o Peixinho sabe que sou grande fã de David Mitchell desde que vi Cloud Atlas no cinema e consequentemente li o livro, e que me encontro agora a ler todos os seus livros por ordem de publicação (coisa que faço com muitas outras séries de livros, é o meu lado obsessivo-compulsivo a vir ao de cima). O seguinte, e último por agora é Slade House, e tem um tom ligeiramente diferente de todos os anteriores.

Slade House é um livro mais negro e com um tom mais próximo do terror do que qualquer trabalho anterior de Mitchell. Começou por ser uma pequena história que o autor ia libertando no twitter, mas que acabou por se tornar mais bem sucedida que o previsto, e que foi expandida para este livro.

Slade House é uma casa assombrada que a cada 9 anos aparece e recebe convidados, que acabam por nunca mais sair. Vamos ver se eu entro e saio sem consequências de maior.

Entretanto já foi anunciado que no verão deste ano sairá um novo livro de Mitchell, Utopia Avenue, que com certeza irá parar à minha lista de livros que quero ler.

Até lá, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – Bitter Orange

bitter orange

Claire Fuller era uma autora que eu não conhecia até ter lido um livro que me chegou às mãos através do Netgalley, Swimming Lessons. Creio que não está traduzido para português. Fiquei muito impressionada com esse livro, tinha uma força e uma delicadeza que muito me impressionaram e fiquei com vontade de conhecer mais livros desta autora.

Em 2018 foi editado este Bitter Orange, que não só tem um título maravilhoso, como tem uma sinopse que também é intrigante, e que me deu imensa vontade de o ler. Passado no verão de 1969 numa casa de campo inglesa, onde Frances conhece um casal de quem imediatamente se torna amiga inseparável, apenas para descobrir que nem todas as coisas são como parecem.

Mais uma vez espero ser deslumbrada pelas caracterizações quer das personagens quer de todos os ambientes que as envolvem, característica desta autora. Já está no meu kindle à espera de ser lido.

Entretanto, Boas Leituras!

Livros que Quero Ler – O Pacto da Letargia

letargia

O Peixinho adora o trabalho de Miguelanxo Prado, e já li praticamente todos os livros dele. Para além disso é também uma pessoa interessante e terra a terra, pelo que se pode ver no modo como lida com os fãs que o seguem no Facebook (eu, culpada, me confesso).

Saiu este Janeiro o novo livro dele, O Pacto da Letargia (El Pacto del Letargo, em galego) e mal posso esperar para lhe deitar as mãos. Este é um daqueles casos em que nem sequer preciso ver a sinopse, porque dificilmente sairei desiludida, mas em todo o caso espreitei e é uma história que se passa quando são encontradas as notas dum professor aposentado sobre uma antiga ordem de anjos e demónios, e o mistério começa aí.

Estou entusiasmada, e desejosa de lhe poder pôr as mãos para começar a ler.

Até lá, Boas Leituras!