Acabei de Ler – Cursed Bunny

cursed bunny

Keep scrolling if you prefer to read in English.

E aqui está mais um livro que foi finalista deste ano do Booker International, e que me chamou muito a atenção. Cursed Bunny é a colecção de contos fantásticos da escritora coreana Bora Chung, e que colecção de contos. Até agora ainda não sei muito bem o que li.

São histórias que oscilam entre o terror e o fantástico, com pitadas de realismo mágico e folclore e conseguem fazer-nos sentir enojados, impressionados ou horrorizados, em igual medida. São realmente contos fantásticos em todas as acepções da palavra. Mas todas elas nos fazem reflectir sobre o estado da sociedade actual, o papel da mulher na sociedade, aquilo que temos que fazer para manter as aparências, os compromissos que fazemos com a nossa consciência e a nossa personalidade para continuarmos a ser membros respeitados duma sociedade rica em normas. E tudo isto através de coisas aparentemente absurdas. Foi certamente uma excelente leitura.

O único defeito, na minha modesta opinião, é que os primeiros contos são bastante melhores e mais eficazes que os últimos, e por isso o livro foi decrescendo em interesse e prazer de leitura, mas isso não invalida a fantástica experiência que foi.

Recomendo a todos os que gostam de boa literatura, de histórias diferentes, mas apenas se tiverem alguma tolerância a cenários macabros, violentos ou repugnantes. É preciso estômago.

Boas Leituras!

Goodreads Review

Here is another shortlisted book for the Booker International 2022 that caught my eye. Cursed Bunny is a short story collection by the Korean author, Bora Chung. This is a mix of genres, and to be honest I’m not quite sure of what I read yet.

These were stories that go from horror, sci-fi, magic realism and a bit of folklore and they make us feel nauseated, scared, impressed, and horrified in equal parts. These are fantastic tales, in all sense of the word. But all the stories have a common denominator, they make us think about current society, capitalism, women’s role, what we need to do to keep up appearances and all the compromises we make with ourselves to continue as respected members of society. And all these reflections happen on the back of absurd situations. It was a very interesting read.

In my opinion, the only problem with this book was that the first stories were better and more effective than the last ones, so ending this book was a bit underwhelming. Even so, it was a fantastic experience, and I still think about some of the stories.

I recommend it to everyone who loves good literature, different stories, and environments, if you have high tolerance for gruesome and macabre situations. You need to have a strong stomach.

Happy Reading!

Vencedor do Booker International 2022

tomb of sand

Foi anunciado no passado dia 26 de Maio o vencedor do Booker International 2022, Tomb of Sand de Geetanjali Shree, uma escritora indiana. Fala-nos do renascer duma mulher de 82 anos, após a morte do seu marido, e a maneira como vai desafiar a tradição e convenções sociais, mesmo indo contra a sua família.

Parece-me um tema actual e interessante, e já o tenho em lista de espera para ler, mas confesso que as suas 700 e tal páginas não me encorajam muito numa altura em que a minha capacidade cerebral se encontra tão diminuída. Ficará para mais tarde.

Até lá, Boas Leituras!

Finalistas do Prémio International Booker 2022

Booker International 2022

E num instantinho temos aqui a lista de finalistas do International Booker Prize deste ano, um ranchinho de 6 nomes. Temos a já conhecida, e vencedora em 2018, Olga Tokarczuk, juntamente com nomes novos, num colectivo bastante diverso em nacionalidade e estilo literário. Eu ainda não li nenhum, mas deixo em baixo uma pequena sinopse de cada um.

Heaven, de Mieko Kawakami – autora já traduzida para inglês anteriormente, este novo livro é narrado por um jovem de 14 anos que sofre de bullying dum modo estoico, algures nos anos 90. A descrição, algo vaga, bem como algumas críticas positivas de pessoas com gostos semelhantes ao meu, fizeram com que este livro esteja na minha lista (interminável) de livros a ler.

Elena Knows, de Claudia Piñeiro – Livro de uma autora argentina já com alguma bagagem. É um livro de investigação criminal, mas que ao mesmo tempo nos fala das dificuldades da nossa sociedade. Parece uma boa aposta, fiquei interessada.

A New Name: Septology VI-VII de Jon Fosse – este é o último volume desta série de livros do autor norueguês. A sinopse pareceu-me confusa, mas claramente deve ser culpa minha que me perdi em tantos nomes Noruegueses. Não ficou na minha lista de livros a ler, até porque teria que ler todos os anteriores, e neste momento tenho séries de livros para ler até estar na próxima encarnação. Perda minha, de certeza. No entanto, fiquei com vontade de ver um episódio dos Vikings!

Tomb of Sand de Geetanjali Shree – Uma mulher de 80 anos entra em depressão após a morte do marido. No entanto, resolve voltar a viver em pleno, para espanto da própria filha que não sabe o que fazer com a súbita modernidade da mãe. Fiquei fã desta descrição, adoro histórias de idosos que têm o controlo da sua própria vida, está na minha lista de próximos a ler.

The Books of Jacob de Olga Tokarczuk – esta nossa autora já conhecida, volta a ser novamente finalista depois de ter ganho em 2018, e de ter sido prémio Nobel entretanto. Ainda não li o de 2018, e não sei se irei ler este para já. Relato-nos a ascensão e queda dum líder religioso em meados do séc. XVIII na Polónia, e baseado num personagem real e envolto em mistério até hoje. Parece uma boa aposta.

Cursed Bunny de Bora Chung – Um livro de contos duma autora coreana, que vão desde o realismo mágico ao horror que são aqui usados para aludir aos horrores da nossa própria sociedade. Também foi para a lista.

Depois de ler as sinopses acabei por adicionar quase todos à minha lista de livros a não perder, que assim ficou um bocadinho mais irrealista. Se me reformasse já amanhã ainda podia ter hipóteses de conseguir ler todos os livros que acho interessantes.

E que tal, acharam algum deles interessante? Já leram ou pensam ler algum? Digam-me de vossa justiça.

Até lá, Boas Leituras!

Os Nomeados do Booker Prize International 2022

booker international 2022

A semana que passou foi cheia de eventos importantes, e não estou só a falar do meu aniversário. Já falei aqui das nomeadas para o Women’s Prize for Fiction, que foram anunciadas no dia 8, mas o Booker Prize International não quis ficar atrás e lançou a sua lista no dia 10.

Concorrem a este prémio obras que foram traduzidas para inglês pela primeira vez, e temos a concurso um conjunto de 13 livros, de 12 países diferentes, de nomes conhecidos e estreantes. Uma lista diversa e com muita coisa que parece interessante, incluindo um autor brasileiro.

Cursed Bunny by Bora Chung, translated from Korean by Anton Hur

After The Sun by Jonas Eika, translated from Danish by Sherilyn Nicolette Hellberg

A New Name: Septology VI-VII by Jon Fosse, translated from Norwegian by Damion Searls

More Than I Love My Life by David Grossman, translated from Hebrew by Jessica Cohen

The Book of Mother by Violaine Huisman, translated from French by Leslie Camhi

Heaven by Mieko Kawakami, translated from Japanese by Samuel Bett and David Boyd

Paradais by Fernanda Melchor, translated from Spanish by Sophie Hughes

Love in the Big City by Sang Young Park, translated from Korean by Anton Hur

Happy Stories, Mostly by Norman Erikson Pasaribu, translated from Indonesian by Tiffany Tsao

Elena Knows by Claudia Pineiro, translated from Spanish by Frances Riddle

Phenotypes by Paulo Scott, translated from Portuguese by Daniel Hahn

Tomb of Sand by Geetanjali Shree, translated from Hindi by Daisy Rockwell

The Books of Jacob by Olga Tokarczuk, translated from Polish by Jennifer Croft

Já leram algum? Parecem-vos interessantes? Eu acho que vou esperar pelos finalistas antes de me decidir a ler algum.

Até lá, Boas Leituras!

Vencedor do Booker International 2021

booker international 2021

Foi anunciado no passado dia 2 de Junho o vencedor do Booker International 2021. Mostrei aqui a lista dos nomeados, e aqui a dos finalistas, se quiserem ver.

At Night All Blood Is Black  foi o grande vencedor deste ano, e o prémio de 50 mil libras será partilhado entre o autor e a tradutora. A obra foi editada originalmente em francês e é uma ficção com base na experiência dos soldados senegaleses que combateram na Primeira Guerra Mundial. Pela descrição parece ser um livro muito interessante mas também muito intenso e brutal. Tenho muito interesse em ler, quando tiver estado de espírito adequado para isso.

Se lerem entretanto, venham aqui dizer se é bom.

Até lá, Boas Leituras!

Finalistas do Booker International 2021

Booker International 2021

Ainda há meia dúzia de dias vim aqui anunciar a lista de nomeados ao prémio Booker International 2021 e já saiu a lista com os 6 finalistas. Isto é que é eficiência por parte destes júris.

Estes finalistas estão cheios de boas opções de leitura, coisas com aspecto de serem interessantes, mas confesso que não há nenhum este ano que me dê uma vontade louca de ler. Com tanto confina/desconfina/desinfecta o meu cérebro está numa espécie de pousio e não aguenta coisas muito elaboradas. Vou por isso guardar estas sugestões para mais tarde, eventualmente quando voltar novamente a dormir noites inteiras.

Digam-me se lerem algum que valha a pena.

Boas Leituras!

Nomeados do International Booker Prize 2021

international booker 2021

Foi anunciado no passado dia 30 de Março os nomeados para o International Booker Prize, que premeia livros traduzidos para inglês e editados no Reino Unido ou na Irlanda. Os 13 nomeados deste ano são diversificados, de muitas nacionalidades e línguas diferentes, como se espera dum prémio cujo objectivo é divulgar literatura não anglófona. O prémio é partilhado pelo escritor e pelo tradutor. Deixo-vos abaixo a lista dos nomeados, com respectivo link para o Goodreads e uma brevíssima impressão minha.

  1. I Live in the Slums, de Can Xue. Traduzido do chinês por Karen Gernant e Chen Zeping (Yale University Press) – Livro de contos, tem potencial, mas tenho lido bastantes contos ultimamente.
  2. At Night All Blood is Black, de David Diop. Traduzido do francês Anna Mocschovakis (Pushkin Press) – Pode ser fabuloso ou aterrador, provavelmente uma mistura dos dois. A história pouco comum de soldados senegaleses na Primeira Guerra Mundial.
  3. The Pear Field, de Nana Ekvtimishvili. Traduzido do georgiano por Elizabeth Heighway (Peirene Press) – Uma história passada num orfanato da Georgia, parece ser uma história bonita e triste.
  4. The Dangers of Smoking in Bed, de Mariana Enríquez. Traduzido do espanhol por Megan McDowell (Granta Books) – Mais um livro de contos, mas com um título destes é impossível não ter vontade de ler. Ainda mais porque a autora é associada a Shirley Jackson e Jorge Luis Borges. Direitinha para a minha TBR list.
  5. When We Cease to Understand the World, de Benjamín Labatut. Traduzido do espanhol por Adrian Nathan West (Pushkin Press) – Uma espécie de livro de ficção científica sobre ciência, com excelentes críticas no Goodreads. Parece muito interessante, mas talvez necessite de mais cérebro que aquele que tenho disponível no momento.
  6. The Perfect Nine: The Epic Gikuyuand Mumbi, de Ngũgĩ wa Thiong’o. Traduzido da língua quicuio pelo próprio autor (VINTAGE, Harvill Secker) – Um épico em verso sobre um povo queniano. Não me parece o meu género de livro.
  7. The Employees, de Olga Ravn. Traduzido do dinamarquês por Martin Aitken (Lolli Editions) – Mais um de ficção cientifica sobre condições de trabalho numa sociedade dum futuro distante. Muito potencial aqui.
  8. Summer Brother, de Jaap Robben. Traduzido do holandês por David Doherty (World Editions) – Dois irmãos que vão passar o verão juntos, o mais velho com necessidades especiais, e que fica ao cuidado do mais novo. Não consigo ler nada sobre pessoas com necessidades especiais neste momento, mas parece um livro muito bonito.
  9. An Inventory of Losses, de Judith Schalansky. Traduzido do alemão por Jackie Smith (Quercus, MacLehose Press) – Em que serão relevantes para nós 12 tesouros que foram definitivamente perdidos para o mundo. É o que vamos descobrir neste livro.
  10. Minor Detail, de Adania Shibli. Traduzido do árabe por Elisabeth Jaquette (Fitzcarraldo Editions) – a visão palestiniana sobre os acontecimentos do verão de 1949, parece ser um livro muito interessante.
  11. In Memory of Memory, de Maria Stepanova. Traduzido do russo por Sasha Dugdale (Fitzcarraldo Editions) – Através das memórias duma família vamos meditar nas memórias dum povo e dum país, a Rússia. Parece um documento interessante, mas demasiado para mim.
  12. Wretchedness, de Andrzej Tichý. Traduzido do sueco por Nichola Smalley (And Other Stories) – Umas voltas no underground europeu, dadas por duas personagens de origens muito distintas. Uma espécie de fábula urbana que vai direitinha para a minha lista.
  13. The War of the Poor, de Éric Vuillard. Traduzido do francês por Mark Polizzotti (Pan Macmillan, Picador) – As injustiças sociais como base de lutas por melhores direitos, no Séx XVI tal como hoje.

Como sempre parece-me que temos aqui uma lista muito rica e muito diversa. Potencialmente poderia lê-los todos, pois todos me parecem interessantes na sua essência. Alguns, pela forma ou pelo conteúdo estão mais distantes daquilo a que me proponho (ou consigo) ler neste momento. Conhecem algum?

Boas Leituras!