Acabei de Ler – The Ones Who Walk Away From Omelas

omelas

Keep scrolling if you prefer to read in English.

Depois dum brilhante mas intenso livro de não ficção, estava pronta para voltar a mundos inexistentes. Depois de andar às voltas no meu Kindle, percebi que queria mergulhar numa bela sci-fi e nada melhor que ir espreitar o trabalho duma mestre no assunto, Ursula K. Le Guin. Como sempre, não leio sinopses para não estragar a leitura e resolvi mergulhar num livro que tinha um título intrigante. The Ones That Walk Away From Omelas foi uma grande surpresa. Primeiro, no tamanho. Este livro é um conto relativamente pequeno. Na minha edição vem também um prefácio e um posfácio, ambos da autora, em que explica um pouco onde lhe surgiu a ideia para a história, e também um pouco a recepção que teve.

E pelo meio temos poucas páginas dum conto que me surpreendeu profundamente. É tão pequeno que não posso dizer nada sob pena de o estragar, mas vale a pena dizer que me deixou a pensar por vários dias no significado e no preço da minha felicidade. O que é que é necessário sacrificar para eu ser feliz? E, colocada na situação impossível do conto, eu seria das que ficavam ou das que partiam? E mesmo partindo, que impacto real é que isso tem na situação?

Críptico? Com certeza. Se quiserem ler apenas o conto, podem encontrá-lo aqui, no entanto aconselho o e-book com os acrescentos que enriquecem muito a leitura.

Se lerem e quiserem discutir, podem encontrar-me aqui no meu estaminé.

Até ao próximo, Boas Leituras!

Goodreads Review

After a brilliant and intense non-fiction book I was more than ready to dive into non-existent worlds. After some shuffling in my Kindle, I realised I was in the mood for some sci-fi and nothing short than the master, Ursula K. Le Guin. As usual, I did not read any blurbs before starting, and just picked the one with the most intriguing title, so I was in for a surprise. First with the size of the book, as it was a really short story. My e-book also had a foreword and afterword from the author, where she explains a bit about where the idea came from and how it was perceived by the public.

And in the middle, we have a few pages with the actual story, that was very surprising. Due to its size, I cannot say much as I might spoil it, suffices to say that thought about this book for many days after finishing it (still think about it almost daily), and wondering about the price of my happiness. What sacrifices must be made for me to be happy? And if I was in Omelas, would I stay or would I go (singing pause now). And if I left Omelas, like some did, what real impact does it have on that particular situation? 

Cryptic thoughts, like the story. If you wish to read it, you can find it here, however I really recommend the e-book with the extras, as they add a lot to the thought process. 

If you’ve read it and wish to discuss it, you can find me in the usual places, here, Facebook or Instagram. 

On to the next, Happy Reading!

Acabei de Ler – A Praia Mais Longínqua

the farthest shore

Às vezes é bom seguir as minhas próprias recomendações, e por isso resolvi pegar no último volume da trilogia de Terramar, de Ursula K. Le Guin, e descobrir o final da história do Arquimago Sparrowhawk, o feiticeiro mais poderoso daquele mundo. Tal como no volume anterior, Sparrowhawk não está sozinho e a personagem que o acompanha é tão importante e rica como ele.

Em Terramar a magia está a perder-se, as pessoas andam deprimidas, esqueceram a língua antiga e como fazer as tarefas mais básicas. É como se o mundo tivesse perdido brilho e nitidez. Um grande mal aflige este mundo, e apenas Sparrowhawk e Arren, o príncipe de Eldar, o podem travar.

O cerne desta história resume-se a um jovem e um ancião a percorrerem todo o mundo num barco à vela. Pouco mais se passa em termos de acção, e no entanto, todo um mundo acontece. Durante o desenrolar desta demanda vamos poder reflectir no significado de estar vivo, na possibilidade de viver eternamente, e se na realidade não é a proximidade da morte que dá cor e brilho à nossa vida. Mais uma vez aqui o mal não é retratado como monstros assustadores, orcs e dragões, mas como um mau estar interno, uma depressão e desespero que nos fazem perder a vontade de viver.

Muito interessante, faz-nos pensar e é definitivamente um livro que recomendo para umas horas bem passadas.

Boas Leituras!

Goodreads Review

Livros que Quero Ler – A Praia Mais Longínqua

ursula k le guin earthsea 3

Comecei há pouco tempo a ler livros da Ursula K. Le Guin e comecei pelo Earthsea Cycle (Ciclo de Terramar em português). Li os dois primeiros volumes, que gostei muito, e está a faltar-me este terceiro, que nunca mais ganha o seu lugar como próximo livro a ler.

Ged é um poderoso feiticeiro que conhecemos em o Feiticeiro de Terramar, onde vemos a sua infância e os seus primeiros anos como Feiticeiro. Muito mais tarde voltamos a encontrá-lo quase como personagem secundária nos Túmulos de Actuan, onde ele e Ahra vivem uma aventura libertadora.

Voltamos a dar um salto de muitos anos e subitamente a magia está a desaparecer de Terramar e Ged será o poderoso feiticeiro que terá de a restaurar. Estes livros foi a bem sucedida tentativa de Ursula K. Le Guin se aventurar no universo da fantasia e dos livros para jovens adultos, e como já referi anteriormente é um mundo muito bem construído com histórias sólidas e bem contadas, pouco dadas a efeitos especiais de batalhas e grandes disputas. As maiores lutas destes personagens são sempre consigo próprios e os seus sistemas de valor. Isto faz com que estes livros sejam um deleite de ler e que nos dê vontade de continuar a explorar a bibiografia desta autora.

Gostaria de ler este livro ainda em 2020, enquanto os outros dois ainda estão frescos na minha memória. É uma boa opção para o Verão.

Até lá, boas leituras!

Acabei de Ler – The Tombs of Atuan

ursula 2

Depois de ter conhecido a história de Ged, o feiticeiro de Earthsea, no livro anterior, fiquei com um bichinho mesmo na parte de trás do cérebro que dia e noite me dizia que eu precisava de continuar a história. E achei que tinha chegado a altura de pegar novamente neste universo, tão diferente do nosso mas onde nos sentimos em casa.

Ursula K. le Guin não precisa de escrever grandes calhamaços com mil histórias paralelas a acontecer para nos manter agarrados com unhas e dentes a esta história. O livro é pequeno, apenas 180 páginas, o que para um livro de fantasia quase se pode chamar um conto. No entanto não tem absolutamente nada desnecessário, cada frase está no sítio certo e a intensidade da história, mais uma vez, não vem de grandes batalhas ou de grandes efeitos especiais, mas sim das escolhas que cada um tem que fazer na sua vida, e os diálogos interiores que nos levam a quebrar barreiras ou a ficar para sempre aprisionados naquilo que é esperado de nós.

Foram estas escolhas que Tenar/Arha teve que enfrentar quando conheceu o nosso feiticeiro. Saber se continuava a sua vida a servir deuses inexistentes, ou se se libertava daquilo que lhe foi imposto e tomava um novo rumo. E com esta simples premissa temos um livro belíssimo, muito bem escrito, e cheio de interesse.

Recomendo a todos os que gostam de fantasia e de histórias bem contadas que nos fazem pensar.

Boas Leituras!

Goodreads Review

 

Acabei de Ler – A Wizard of Earthsea

ursula le guin

Já há muito tempo que andava para ler algum livro de Ursula k. Le Guin, já que cada vez que se fala de fantasia ou sci-fi o nome dela aparece como incontornável. O problema é que esta autora escreveu imensos livros e eu estava um bocadinho sem saber por onde começar. Até que num grupo de fãs de Neil Gaiman se falou de A Wizard of Earthsea como precursor duma história de feiticeiros dele, que se crê que inspirou J. K. Rowling a escrever Harry Potter. Confuso, eu sei, mas na minha cabela fez sentido e achei que seria um bom ponto de partida.

A primeira coisa que temos que nos lembrar ao ler este livro, é que foi escrito em 1968, muito antes de escolas de feiticeiros estarem na moda, por isso fazer comparações com qualquer coisa mais actual não adianta. Foi com este espírito que embarquei nesta aventura. Ao princípio foi difícil de entrar na história. Os personagens principais não eram muito interessantes, e na realidade não me despertavam simpatia sequer.

Mas o livro desenvolveu devagar, em direcções inesperadas, e a história acabou por ser bastante interessante. Na realidade é um clássico de fantasia, um rapaz que nasce com numa família pobre com poderes mágicos especiais que acabam por ser descobertos por acaso. Vai para uma escola de feiticeiros, não se dá bem com todos, e acaba por soltar uma sombra maligna no mundo por causa duma disputa infantil. Mas é o modo como depois se lida com isso que torna este livro tão diferente e especial. Não vemos aqui grandes batalhas épicas, criaturas estranhas e exércitos poderosos. Na realidade vemos a luta dum rapaz com o seu ego, com os seus demónios, e nalgumas partes fez-me lembrar “O Velho e o Mar” de Hemingway.

Surpreendente e envolvente depois de passada a fase inicial, recomendo a todos os fãs de fantasia e de histórias bem contadas sobre a natureza humana.

Boas Leituras!

Goodreads Review