Miró e os Livros

Miro_01
Pormenor duma tela, ou como o Miró afinal conhecia o Peixinho. 

Resolvi começar a contar as minhas aventuras destas férias exactamente pelo fim, que foi o dia de hoje. Depois de uma semana no Alentejo com alguns contratempos pelo meio, esta manhã decidimos ter um tempo cultural. Já que tinha perdido a exposição do Miró em Serralves, desta vez não quis deixar escapar a oportunidade de a ver na Ajuda, por isso foi por lá que começámos o dia.

A exposição não é grande, apesar de ter 85 obras, mas creio que é bastante representativa de vários momentos da evolução deste pintor. O enquadramento dado pelo Palácio da Ajuda é também uma mais valia, uma espécie de casamento entre o antigo e a modernidade. Eu gostei muito, mas também seria difícil não gostar já que sou uma grande fã de Miró desde que via reproduções de quadros dele nas paredes da casa dos meus padrinhos. Por isso, para mim, está sempre associado a boas recordações. Achei também que era adequado no meio de tantas convulsões independentistas catalãs ver um pintor que era conhecido pelo seu orgulho catalão.

Depois da exposição vista, aproveitámos estar na zona para irmos até à Festa do Livro em Belém, mais para aproveitar e conhecer os jardins do Palácio de Belém, onde nunca tínhamos ido, do que propriamente comprar livros. Pelo menos, esse era o propósito inicial, juro que tinha a firme ideia de não comprar nada, mas foi claramente prova não superada. Eu e as pechinchas, ainda para mais quando aliam livros e viagens. Não resisti. Mas gostei muito da iniciativa, os jardins são lindíssimos, o facto de só estarem à venda autores portugueses foi um apontamento muito curioso e pertinente, o ambiente esta óptimo, ainda para mais com o Grupo Dixie da Banda da Armada que nos acompanhou durante todo o tempo que lá estivemos foi um bocado muito bem passado. Se forem ao Instagram do Peixinho vêm um bocadinho da atuação.

Cereja no topo do bolo foi que pudemos sair pelo Jardim Botânico e Tropical e ainda dar um pequenino passeio por lá, desfrutando das sombras e dos recantos escondidos.

A Festa do Livro está só até hoje, mas o Palácio de Belém e o Jardim são visitáveis noutras alturas e eu aconselho vivamente.

Miro_02
A Festa do Livro, com a banda lá ao fundo.
Miro_03
Depois vos digo se valeu a pena 😉
Anúncios

Ainda o Mário de Sá-Carneiro

mario-de-sa-carneiro_g
Retrato de Mário de Sá-Carneiro, Júlio Pomar 2014-2015

Falei aqui no dia 26 de Abril, neste post, do centenário da morte de Mário de Sá-Carneiro. Foi também nesse dia que começou uma exposição na Bibioteca Nacional que está integrada nas diversas comemorações da obra deste autor.

É uma excelente oportunidade para vermos de perto alguns documentos fotográficos, ilustrações, livros, coisas que contextualizam e dão corpo à vida do autor. É também uma maneira para vermos o interior da Biblioteca Nacional para todos aqueles que nunca lá entraram. Apesar de muito perto da minha faculdade, só lá entrei uma vez para acompanhar uma amiga.

A não perder até 31 de Agosto, com entrada livre.