Eu, Assassino

Eu, Assassino

 

O Peixinho resolveu começar uma maratona de BD para finalmente ler alguns livros que já estão cá em casa há algum tempo à espera de atenção, e resolvi começar pelo mais negro de todos, Eu, Assassino, de Antonio Altarriba com desenhos de Keko.

Este livro segue um assassino em série que é simultaneamente um professor catedrático de história da arte numa universidade basca, em crise de meia idade.

O livro é muito violento e cru, as ilustrações em negro com pinceladas vermelhas ajudam a criar o ambiente opressivo que vai em crescendo até ao final. A história deste assassino nada mais é que um pano de fundo para nos fazer reflectir sobre alguns temas mais profundos, como a arte e tudo o que gira à sua volta, o mundo universitário com as suas bolsas e políticas associadas, as feridas que ficam num país que foi assolado por uma ditadura, uma guerra civil e atentados terroristas. Tudo isto faz com que a leitura deste livro se faça num ápice.

Fiquei com vontade de conhecer mais deste artista e recomendo a todos que gostem de novelas gráficas e não se impressionem facilmente.

Goodreads review

Na era da informação, existir implica gerar dados… A notoriedade cria-nos… Dir-se-ia que a privacidade, longe de reforçar a identidade, a bloqueia. Já não importa que nos conheçamos a nós próprios, mas sim que os outros nos conheçam… Quantos mais melhor, e não quanto mais melhor. Ser, depende do outro e só somos o que o outro quer que sejamos.

Para Ler – BD

bd-2017

Como Peixinho organizado que sou, começo o ano já com muitos livros de cada categoria para ler. Ou então podemos dizer que deixei acumular livros que não consegui ler o ano passado. É como preferirem.

Em BD, um dos géneros que me agrada muito mas que não leio tanto como gostaria, tenho na calha os 3 livros que se vêem na foto desfocada acima.

Eu, Assassino foi prémio num passatempo da Timeout já há algum tempo, mas ainda não lhe consegui pegar. É um livro muito premiado e uma edição esteticamente muito apelativa, cujo argumento também ganhou vários prémios, por isso estou expectante. O Peixinho Vermelho já o leu e recomenda.

Ardalén, dum dos meus autores de BD favoritos, o galego Miguelanxo Prado. E na sua língua original, será um desafio e um encanto lê-lo. Foi um presente de Secret Santa, por isso ainda está a marinar, que esta época foi pouco dada a leituras.

Os Vampiros, do Filipe Melo. Depois de ter lido toda a brilhante saga do Dog Mendonça e Pizzaboy sei que este livro não pode desiludir, apesar de ser radicalmente diferente. Prenda de Natal do Peixinho Vermelho, que o leu dum trago assim que mo ofereceu.

E claro, retomar a saga do Sandman do Neil Gaiman, assim chegue cá a casa o volume 7 pela mão da minha fornecedora habitual.

Nada mau para começo de ano. Boas Leituras!