A Ulmeiro Renascida

ulmeiro

 

O Peixinho já se fartou de aqui falar da livraria Ulmeiro (nome correcto Livrarte, embora ninguém a conheça por esse nome), um alfarrabista/editor de Benfica que se encontrou em risco de fechar e que tem vindo lentamente a recuperar visitantes e a ser dinamizado. Podem ver artigos aqui e aqui.

Esta semana saiu mais uma notícia acerca deste renascimento, já que o dono e editor da Ulmeiro vai voltar à carga com novas edições de literatura portuguesa e brasileira. Para serem vendidos na livraria própria e não só.

Vai fazer também uma exposição sobre os 50 anos de história da sua editora na Fábrica do Braço de Prata sem data marcada ainda.

Eu fico muito contente por ver quando passo por lá diariamente no meu regresso a casa que a livraria tem sempre gente a desbravar aquelas largas centenas de títulos à procura dum tesouro especial. Eu própria já passei por lá muitas vezes, essencialmente em busca de poesia, mas ainda não encontrei o livro que me espera.

Se estiverem em Lisboa/Benfica passem por lá, vale a pena. Até lá, boas leituras!

Notícia e foto aqui.

Anúncios

Livros Grátis em Faro

simoes-975x596

Infelizmente mais um alfarrabista não resiste ao descartável e aos tempos modernos. A par do Espaço Ulmeiro em Benfica, que também não deve resistir, a Livraria Simões em Faro, faliu em 2015 e tem ainda um grande espólio de livros no seu interior.

Mas para todos os que se possam deslocar lá, no próximo sábado 4 de Fevereiro todos os livros estarão disponíveis para ser trazidos gratuitamente. Vejam aqui o horário e os pormenores.

A Livraria do Gato à Porta

Já muito se falou na comunicação social sobre a Livraria Espaço Ulmeiro, em Benfica, que se encontra em risco de fechar (aqui e aqui, por exemplo). Aberta desde 1969, o dono foi também o fundador da Editora Ulmeiro e Assirio e Alvim, entre outras.

Sendo de Benfica, já conhecia há muito este espaço, apesar de não saber da sua importância histórica. Para mim, esteve sempre ali. Parece a casa daqueles senhores, onde eles acumularam tesouros durante anos e pelos quais nos deixam navegar. Há uns anos a esta parte também com o Salvador, um gato amarelo enorme, que se divertiu a deitar ao chão uma pilha de livros quando lá estive a semana passada.

A minha descoberta dos livros em segunda mão foi tardia, começou ao mesmo tempo que me ofereceram o Kindle, em 2012. Fiz para mim a decisao que iria sempre que possivel comprar livros usados. Para bem do planeta, e com uma certa objecção aos preços exorbitantes que as nossas livrarias praticam.

Assim, espaços como a Ulmeiro são cada vez mais o sitio onde me abasteço de tudo aquilo demasiado obscuro ou especifico para encontrar para Kindle. Como toda a literatura portuguesa que me interessa.

Se não quiserem visitar este espaço (fazem mal), podem sempre seguir os leilões online aqui.

Eu já lá fiz umas comprinhas a semana passada. Esta semana, em casa doente, só mesmo seguindo pelo online.