Acabei de Ler – K2, Life and Death on the World’s Most Dangerous Mountain

k2

Keep scrolling if you prefer to read in English.

Quem segue o Peixinho sabe que eu gosto de ler sobre montanhismo. Eu, que tenho vertigens se subir a um banco, gosto de ler as experiências de quem se aventura a escalar os picos mais altos do planeta. E não há altura melhor para o fazer que em plena vaga de calor. Talvez ler sobre temperaturas abaixo de zero ajude a suportar os quarenta que sentimos a meio de Julho.

K2 é a segunda montanha mais alta do mundo, e situa-se no Paquistão, na cordilheira do Karakoram. Não é tão popular como o Evereste, mas é bastante mais técnica e perigosa de subir. Ed Viesturs é um alpinista americano muito experiente, e foi o primeiro americano a subir todos os 14 picos com mais de 8000 metros de altura. Só há 4 alpinistas no mundo com maior número de subidas de alta montanha, a acreditar no que a Wikipedia nos diz.

Após a trágica época de 2008 no K2, em que morreram 11 alpinistas, e tendo tido uma experiência dramática quando fez a sua própria subida em 1992, Ed Viesturs decide investigar a história da montanha e mostrar-nos porque é tão perigosa, usando o relato de várias campanhas anteriores.

A premissa é boa, e Ed Viesturs é realmente uma autoridade na matéria, mas de algum modo este livro não foi brilhante. Acho que teria beneficiado de uma melhor edição. O autor fala-nos de várias expedições ao K2 desde 1902, os sucessos e os insucessos. Reconta novamente a sua própria experiência de 1992, com Scott Fisher que viria a falecer mais tarde no desastre de 1996 no Everest, mas por vezes os saltos entre experiências eram pouco claros, e confusos. Era necessário muita atenção para percebermos em que ano estávamos, e se já tínhamos ou não lido anteriormente sobre isso. Depois foram largos capítulos sobre a expedição de 1939 onde pela primeira vez morreram pessoas a escalar esta montanha, com uma análise detalhada sobre a atribuição de culpas, e confesso que essa parte não foi nada interessante e acabei por ler meio na diagonal. Devo dizer que me agradou bastante o destaque dado aos sherpas e paquistaneses que se distinguiram na montanha também, já que é tão raro vermos isso noutros livros.

No fundo, um livro que tinha imenso potencial mas que ficou um pouco aquém. Se gostarem de ler sobre montanhismo, há opções mais interessantes, nomeadamente Buried in the Sky, também sobre escalada no K2 mas com uma extensa história dos sherpas que acompanharam a expedição e que raramente recebem atenção mediática.

Rumo ao próximo. Até lá, Boas Leituras!

Goodreads Review

If you follow this blog, you already know I like to read about mountain climbing, even though I have severe vertigo if I climb something as high as a park bench. Still, I love reading about the experiences of those who dare to climb the highest mountains on the planet. And I was reading this through a heat wave, reading about freezing temperatures actually helped to bear the heat.

K2 is the second highest mountain on Earth, and is in Pakistan, on the Karakoram mountain range. It is not as widely known to the general public as the Everest, but is much more difficult and technical, making it one of the most dangerous peaks. Ed Viesturs is a very accomplished American climber, the first (and only) one to reach all the 14 peaks that stand above 8000m. According to Wikipedia, there are only other 4 climbers with more high peaks climbs than him.

He wrote a previous book detailing his journey to the 14 peaks, but after the 2008 tragic K2 season, with a death toll of 11 climbers, and having had his own dangerous experience in this mountain in 1992, Ed Viesturs decided to investigate K2’s history and delved into past ascents to show us why K2 is considered such a dangerous mountain.

This promised to be an interesting book, and Ed knows what he is talking about, however the book fell a little short for me, and I believed it would have benefited from better editing. The author details several K2 expeditions, since the first one in 1902, including his own experience in 1992 with none other than Scott Fisher that became sadly famous with the 1996 Everest disaster, where he perished. However, the leaps between each expedition were sometimes confusing and a lot of brain power was needed to understand in which timeline we were at any given point. There were also several chapters dedicated to the 1939 ascent, the first time K2 claimed lives. There was a detailed analysis, trying to justify who was (or not) to blame, which was not interesting to me. But it got better after that, and it was very refreshing to see the Sherpas and the high-altitude guides being recognized for their efforts and their sacrifices, which, sadly, is not something common in these books.

This book had a lot of potential, but it fell a bit short. If this is a theme that interests you, there are more interesting options out there. Buried in the Sky was also about K2, but the writing was more interesting and engaging, and it was very informative about the differences between high altitude and low altitude porters, all of which are amply used in these expeditions but with very low recognition.

On to the next one, Happy Reading!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s