A Engomadeira do Almada

A Engomadeira

Num ano em que resolvi retomar a leitura em português, cruzei caminhos com este conto do Almada, a Engomadeira. Para além de toda a experiência de o ler, este conto permitiu-me também saber o que é o Intersecionismo, um movimento criado por Fernando Pessoa e no qual se sobrepõem vários niveis de realidade. Perfeita descrição daquilo que li neste conto.

Ler A Engomadeira foi como ver um quadro do Almada, uma experiência em que a realidade se expõe perante os nossos olhos deformada em beleza. Escrito em 1915 é também um retrato da altura, e da ruptura agressiva que este grupo de autores tentava fazer com a norma e a tradição da altura. Podemos ver, como nas telas, o movimento Surrealista em plena laboração. Suponho que se eu conhecesse um pouco mais da história da altura, tivesse desfrutado ainda mais dos nomes que foram aparecendo na narrativa.

Aconselho muito, a ler com olhos abertos e capacidade de deslumbrar intacta.

“Eu sentia que cada poro do meu corpo, cada molécula isolada, era uma série de mundos diferentes onde cada submundo mesmo os das últimas subdivisões tivessem um mapa e leis onde cada ser fosse tão complicado como o homem e mais ainda do que o homem, como eu.”

“Uma noite estava eu a escrever um conto realista e o aparo da caneta era uma vespa. Pensei toda a noite na vespa e na manhã seguinte o meu conto realista estava acabado com letra da minha amante que, mais extraordinário é, nunca aprendeu a ler.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s